Informações de Mercado

Mercados de vizinhança têm maior procura e tendência de crescimento em 2021

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Desde o final de 2019, o varejo vem sentindo uma mudança significativa nas preferências do consumidor. Entre as alterações e novos hábitos, tem crescido a procura pelos mercados de vizinhança. E a pandemia reforçou esse comportamento. A Allis, uma empresa de Field Marketing, tem notado um crescimento de cerca de 20% na busca pelos locais que ficam perto de casa. Ou seja, os mercados de vizinhança e/ou de bairro.

Principais fatores que favorecem o crescimento da procura pelos mercados de vizinhança

Fatores como localização e facilidade de chegar, já que este tipo de estabelecimento costuma estar próximo da residência, compras de itens pontuais e agilidade, têm levado os consumidores a procurarem por esse tipo de estabelecimento.

Com a pandemia, o movimento continuou e a procura pelos mercados de vizinhança foi reforçada pelo pensamento de ajudar os empreendedores e varejistas menores, contribuir com o comércio local, além da chance de encontrar lojas mais vazias, com menor aglomeração.

“Já estávamos sentindo uma movimentação dos consumidores para os mercados de vizinhança desde 2019. E no ano passado aumentou significativamente, também por conta da pandemia”, comenta André Romero, diretor da Allis, e especialista em construção de marca no ponto de venda. 

O profissional ainda reforça que “o movimento está sendo impactado pela mudança no jeito de comprar, afinal, o consumidor procura mais agilidade e praticidade. E, claro, pela Covid-19, já que as pessoas optaram por lojas mais vazias para fazer suas compras e passaram a ficar mais tempo em casa, consumindo do comércio do próprio bairro”, diz Romero.

– Você também pode se interessar por: Como gerenciar um supermercado de pequeno porte? 

Mercados de bairro tendem a crescer em 2021

Dados da Nielsen sobre os novos hábitos dos consumidores mostram que há uma tendência no crescimento desses estabelecimentos, em 2021. Em pesquisa realizada no ano passado, 33,4% dos entrevistados afirmam que vão manter a redução de visitas aos estabelecimentos comerciais, como supermercados. 

Além disso, um em cada quatro consumidores revela a intenção de seguir privilegiando as compras nas lojas perto de casa. Ademais, 16,9% afirmam que vão manter a despensa abastecida. 

Com um cenário ainda incerto quanto à retomada total das atividades nas cidades, atreladas às dúvidas e o processo da vacinação, muitos consumidores ainda serão cuidadosos sobre voltar a frequentar locais como bares e restaurantes: 17,1% dizem que passarão a ir menos nesses ambientes. Assim, a alternativa é abastecer a casa. Pois, pelo visto, o isolamento social ainda deve se prolongar por mais um tempo pelos municípios brasileiros.

O fato pode ser positivo para varejistas menores, que não pertencem às grandes redes, e são conhecidos como mercados de vizinhança ou lojas de bairro. Esses negócios podem aproveitar o momento para crescer e aumentar a vendas. 

Dados da GFK Brasil revelam que 37,9% dos donos de pequenos estabelecimentos disseram ter feito mudanças no mix de produtos nas lojas em 2020. E 11,5% aumentaram a oferta de produtos ligados à pandemia.

Ademais, os hábitos de higiene e limpeza devem ser mantidos. Também, ações como limpar a casa mais vezes deve ser continuado por 25,7% dos entrevistados pela Nielsen. Assim, essa é a oportunidade para os mercados de vizinhança tentarem uma retomada nos resultados. 

Soluções para os mercados de vizinhança

Neste cenário, encontrar soluções completas, tecnológicas, eficientes e práticas para fazer uma melhor gestão dos mercados de vizinhança, pode fazer toda a diferença para o sucesso da loja.

Se o seu negócio deseja adequar-se à essa tendência de crescimento, esse pode ser o momento certo para conhecer a plataforma de Gestão de Clientes da Mercafacil e implementar nossas soluções para o seu supermercado. Fale com um dos nossos consultores e saiba como podemos te ajudar a alavancar seus resultados em pouco tempo.

Jornalista graduada pela PUC-PR. Analista de Marketing com foco em produção de conteúdo estratégico na Mercafacil.

Write A Comment