Tag

Marketing

Browsing

O mercado moderno se caracteriza pela especificidade de públicos. Isto é, os segmentos estão cada vez mais nichados e as estratégias de marketing cada vez mais direcionadas para grupos específicos. No entanto, o Marketing de Massa vem na contramão dessa tendência e se destaca justamente pela falta de segmentação. Isso porque essa estratégia foca em chegar no maior número de pessoas.

Por esse motivo, o Marketing de Massa é perfeito para os setores do varejo que atendem o público em geral. 

Continue lendo para entender o que é essa vertente do marketing e como você pode utilizá-la.

O que é Marketing de Massa?

Em tempos digitais, os recursos de divulgação são democráticos e acessíveis. Isso faz com que as empresas enfrentem ainda mais competição pela preferência dos clientes.

O Marketing Direcionado, como o nome já diz, busca segmentar a divulgação para aqueles que têm interesse em certo assunto, excluindo aqueles que não demonstram o mesmo interesse. 

A partir de pesquisas para formar os perfis de comportamento de possíveis clientes, a equipe de marketing estrutura as melhores estratégias e começa a estipular o calendário editorial para redes sociais e site da melhor forma possível.

No Marketing de Massa a lógica é oposta. Aqui, o objetivo é impactar o maior número de pessoas possível, sem levar em consideração conceitos como nicho, persona ou público-alvo.

Ainda que esteja perdendo espaço para o Marketing Direcionado, muitas empresas continuam a apostar nessa estratégia com o objetivo de ganhar maior exposição e, assim, gerar valor para a marca.

Como funciona o Marketing de Massa?

Como frisamos por várias vezes, a ideia é expor a sua marca ao máximo de pessoas, sem nenhum tipo de diferenciação. Sendo assim, ao invés de buscar o local onde pessoas com perfil da empresa navegam, a divulgação é feita em todos os cantos e em maior quantidade.

São utilizados os métodos tradicionais da comunicação de massa. Por exemplo: divulgações por meio de redes sociais populares (neste caso aumentar seguidores no geral é um grande trunfo), emissoras de TV, outdoors, entre outros. 

Normalmente, são empresas novas ou que estão tentando lançar um novo produto no mercado que procuram por essa estratégia. Isso porque ela consiste em  incentivar os clientes a comprar e oferecer incentivos comerciais para que os lojistas renovem seus estoques.

A ideia é valorizar a experiência do consumidor, atender suas demandas e criar anúncios que chamam a atenção dele justamente porque a personalização é deixada de lado.

Como aplicá-lo em seu negócio

Para ter certeza que esta é a melhor estratégia para a sua empresa é importante que sejam feitas pesquisas de mercado.

Isso ajudará a entender de que formas o Marketing de Massa poderá contribuir com a divulgação da sua empresa e com as metas de vendas e crescimento.

Estude e conheça a fundo seus concorrentes. Também, analise minuciosamente as práticas e estratégias aplicadas por eles para, assim, entender como o Marketing de Massa ajudará a sua empresa a se destacar.

Além disso, procure combinar essa estratégia com outras mais modernas, como é o caso da produção de conteúdo para web. Afinal, ainda que o seu objetivo não seja se comunicar com ninguém em específico, as pessoas continuarão tendo necessidade de aprender mais sobre o seu segmento. Sendo assim, é melhor que você seja a fonte de informações delas, sejam quem forem.

Principais estratégias do Marketing de Massa

Abordagem Shotgun

Podemos dizer que a Abordagem Shotgun é a essência do Marketing de Massa. Ela consiste em atrair atenção para sua marca do maior número de pessoas possível, independentemente de quem sejam elas.

Seja no planejamento redes sociais ou em veículos tradicionais, a mensagem passada deve ser genérica para que seja entendida por pessoas de diferentes perfis.

Além disso, ao transmitir as mensagens você deve deixar a cargo dos expectadores interpretá-las.

Imagine, por exemplo, que um supermercado queira divulgar promoções de final de ano. 

Por se tratar de um negócio essencial eles já tem um público grande e diversificado. Assim, ao elaborar os anúncios eles devem fazê-los de forma que todo mundo entenda e se sinta atraído.

Pode-se usar frases de efeito e explorar o máximo possível a urgência de os clientes irem ao estabelecimento antes que as promoções acabem.

Normalmente, a Abordagem Shotgun é veiculada em canais como TV, rádio e internet.

Por esse motivo, saber como ganhar seguidores no Facebook e Instagram e atrair a atenção dos espectadores na TV são preocupações que permeiam esse recurso.

Marketing de Guerrilha

Outra técnica muito utilizada é o Marketing de Guerrilha. Basicamente, essa estratégia tem como objetivo chocar as pessoas por meio de peças publicitárias impactantes e inesperadas.

Para que ela atraia o maior número de pessoas de uma só vez, as ações do Marketing de Guerrilha são feitas em tamanhos grandes, para serem veiculadas em espaços públicos.

Seja por meio de esculturas, pinturas, flashmobs ou outros tipos de intervenções nas paisagens urbanas, o intuito é envolver os consumidores e despertar reações, sejam elas a de comprar produtos, conhecer a empresa ou até provocar a concorrência. 

Vantagens e desvantagens do Marketing de Massa

Vantagens 

  • Alcance de público;
  • Menor valor investido;
  • Fortalecimento da marca.

Desvantagens 

  • Possível indiferença por parte do público;
  • Resultados demorados e de difícil quantificação;  
  • Difícil fidelização de clientes

Aplique o Marketing de Massa no seu varejo

Como você pôde ver nesse conteúdo, o Marketing de Massa é uma boa solução para os negócios que precisam se lançar no mercado, mas não contam com muita verba para contratar influenciadores ou veicular seus anúncios em plataformas muito caras.

Em se tratando do varejo ele se torna ainda mais eficaz, pois negócios do setor têxtil, alimentício ou de outros nichos essenciais costumam ter um público naturalmente abrangente.

Sendo assim, não hesite em contar com uma consultoria empresarial para fazer o diagnóstico da sua empresa e verificar se essa estratégia será realmente eficaz para a sua realidade e necessidade. 

Caso você queira saber mais sobre as vantagens do ponto de vista financeiro, uma boa opção é  contratar uma assessoria contábil para medir os resultados do Marketing de Massa no orçamento.

Conteúdo produzido por Business Connection

Você sabe quais são as principais tendências de marketing digital para supermercados previstas para 2021?

A esta altura, você já deve ter compreendido a importância de contar com um marketing digital afiado, por dentro das novidades de mercado e, mais importante… Que traga resultados mensuráveis para o seu negócio. Certo?

E foi pensando nisso que nós selecionamos para você tópicos relevantes, que podem te ajudar a dar um norte para este ano.

Para isso, utilizamos uma pesquisa popular realizada pela Deloitte e demais fontes referências no mercado. Assim, compilamos as ideias e chegamos a 4 tendências de marketing digital para supermercados que podem fazer toda a diferença para o seu negócio crescer em 2021. Confira!

4 tendências de marketing digital para supermercados terem sucesso em 2021

1. Marketing feito “dentro de casa”

Vamos começar esse tópico sobre as tendências de marketing digital para supermercados ressaltando que é claro que existe muito espaço para agências especializadas. Também, elas continuarão existindo e podem desempenhar um excelente papel para o seu varejo.

Inclusive, em alguns casos – normalmente tratando-se de redes de supermercados maiores – é possível fazer uma mescla entre agência e profissionais “de casa”.

Entretanto, uma das tendências que ganha cada vez mais espaço é a de contar com profissionais de marketing internos. Ou seja, que sejam efetivamente funcionários do seu supermercado.

Alguns dos fatores que proporcionam essa mudança estão relacionados com o profissional “de casa” ter um maior conhecimento sobre a sua marca.

Afinal, ele está ali todos os dias, sabe quem são os clientes, o que vale a pena ser documentado e, também, poderá observar, registrar e postar situações espontâneas que acontecem no cotidiano. Isso tudo aumenta a proximidade da marca com o público.

Além disso, essa é uma estratégia que pode representar mais agilidade nos materiais e um menor custo financeiro para o seu supermercado.

2. Chatbot (assistente virtual) veio para ficar e é uma das tendências de marketing digital para supermercados

De acordo com dados do Mapa do Ecossistema Brasileiro de Bots – 2020, a quantidade de chatbots/robôs de conversação desenvolvidos pelas empresas que atuam nessa área no Brasil aumentou 68% em um ano, passando de 60 mil em 2019 para 101 mil em 2020.

Ou seja, o chatbot é uma tendência que já se tornou realidade, mas continua em franco crescimento. Proporcionando conversas cada vez mais naturais, essa ferramenta pode ser uma excelente aliada para:

  • Aumentar a eficiência do seu varejo, já que funciona 24h por dia, 7 dias por semana, sem que haja a necessidade de intervenção humana
  • Resolver questões simples de maneira ágil – como horário de funcionamento, envio de encartes, informações a cerca de inaugurações, endereço das lojas, formas de pagamento aceitas pelo supermercado, entre outros
  • Coletar dados valiosos dos clientes
  • Disponibilizar avaliações para serem feitas – tanto do atendimento via chatbot quanto de demais setores da sua loja
  • Gerar uma experiência positiva para os consumidores

Ademais, vale lembrar que o chatbot pode ser implementado por redes varejistas de todos os tamanhos. Afinal, não existem limitações para essa solução tecnológica.

Na Mercafacil nós oferecemos essa solução para os nossos clientes e, abaixo, você confere um exemplo de como o chat funciona na prática ao interagir com o usuário: 

Chatbot Mercafacil

3. O poder das redes sociais que engajam e vendem

Outra das tendências de marketing digital para supermercados que veio para ficar está relacionada com as redes sociais. Essas mídias são importantes para a proximidade com os seguidores mas, além disso, também podem ser poderosas aliadas nas vendas.

E não estamos falando apenas das vendas online realizadas por essas plataformas, apesar de elas também fazerem parte dessa estratégia. Mas também, estamos ressaltando o papel que as mídias digitais têm na digitalização do varejo e de promover uma facilidade na jornada figital (física + digital). Ou seja:

  • Seguidores das redes sociais que veem conteúdos e/ou produtos postados nas redes sociais e vão até a loja para comprá-los
  • Clientes que vão até a loja física e, durante as compras, utilizam as redes sociais para verificar as promoções/fazer pesquisas de preço
  • Consumidores que fazem compras via canais online, como o whatsapp, aplicativo, site ou redes sociais, mas decidem buscar as compras na loja, entre outros.

Ou seja, além de as redes sociais poderem ser utilizadas efetivamente como um canal de vendas, elas também desempenham esses outros importantes papéis para o seu supermercado.

A compra pode, ou não, ser concluída por meio das ferramentas das redes sociais. Não é exatamente esse o ponto. O ponto é: é muito importante o seu varejo ter perfis nas mídias sociais que engajam, aproximam o relacionamento, geram mais possibilidades de vendas e, assim, aumentam o faturamento do seu negócio.

4. Personalização na comunicação é outra das tendências de marketing digital para supermercados

A personalização também é outra das tendências de marketing digital para supermercados que veio forte nos últimos tempos. Por personalização, queremos ressaltar a importância de o seu supermercado saber muito bem com quem está se comunicando. 

Essa estratégia de personalização permite que as empresas entreguem um conteúdo individualizado aos destinatários. E isso é feito por meio da coleta e análise de dados obtidos através de tecnologias de automação. 

Utilizando plataformas completas, seu varejo entrega a mensagem/oferta certa, para o cliente certo, na hora certa, pelo canal ideal. Esse cuidado é cada vez mais valorizado pelo consumidor e, também, é extremamente positivo para a sua marca. 

Isso acontece porque a personalização da comunicação garante:

  • Uma melhor experiência ao seu consumidor – já que ele recebe mensagens/ofertas que considera relevante.
  • Melhores resultados para o seu negócio – já que suas ações de comunicação passam a ser mais assertivas e trazem melhores taxas de sucesso.

Para saber mais sobre o assunto, confira o nosso artigo sobre o CBM, a ferramenta da Mercafacil que é a evolução do CRM. Quem sabe, o CBM pode ser a solução ideal para você compreender melhor o comportamento dos seus clientes e transformar esses insights em ações lucrativas.

Compreendendo e aplicando as tendências de marketing digital para supermercados

Pois bem, gostou de conhecer um pouco mais sobre algumas das principais tendências de marketing digital para supermercados que chegaram com tudo para 2021? Já está aplicando alguma delas no seu varejo? Deixe aqui seu comentário!

E claro, se você estiver em busca de utilizar uma ferramenta completa para conhecer de vez os hábitos de compras do seu cliente, entre em contato conosco e conheça nossas soluções personalizadas para o seu varejo.

Hoje, mais de 1400 lojas ao redor do país já contam com o CBM da Mercafacil em sua estratégia. Que tal passar a ter essa plataforma trabalhando a seu favor também?

Você sabe como alcançar os R$ 2.500/m² no seu supermercado, com 5% de lucro líquido? E, mais do que isso, sabe qual a importância de bater esses números no seu estabelecimento?

Acredite, atingir essas métricas com frequência e constância pode te ajudar a fazer com que o seu negócio chegue a um novo patamar, obtendo ainda mais sucesso.

Para te ajudar nessa missão, vamos te explicar melhor o que significa alcançar R$ 2.500/m² no seu supermercado com 5% de lucro líquido… E, é claro, oferecer boas dicas para isso. Acompanhe!

O que significa alcançar R$ 2.500/m² no seu supermercado?

Alcançar R$ 2.500/m² no seu supermercado com 5% de lucro líquido significa exatamente isso que você está lendo. Não existe forma de ser mais literal de explicar essa frase.

De acordo com Leandro Rosadas, especialista em supermercados, a média de vendas dos supermercados, segundo a pesquisa da Associação Paulista de Supermercados (APAS), é de cerca de R$2100/m².

“Porém, notamos que as lojas eficientes, que têm bons resultados e que chegam entre 5% a 6% de lucro líquido, são aquelas que conseguem atingir pelo menos R$2500m²”, comenta o especialista. 

Isso significa que: se o seu estabelecimento tem 100m², você deveria vender R$250 mil reais, por exemplo. 

Entretanto, sabemos que isso não acontecerá “do dia para a noite” e, muito menos, sem conhecimento e esforço da sua parte. Por isso, é muito importante que você, varejista, coloque isso como meta e trace o melhor caminho para alcançá-la.

Ademais, é para isso que estamos aqui: oferecer sugestões de ações que podem te ajudar a alcançar os R$ 2.500/m² no seu supermercado com 5% a 6% de lucro líquido.

Como alcançar R$ 2.500/m² no seu supermercado? Veja 5 dicas!

1. Dê atenção aos perecíveis 

A parte dos perecíveis do seu estabelecimento é essencial para te ajudar a alcançar os R$ 2.500/m² no seu supermercado. Ainda utilizando Leandro Rosadas como fonte, ele ressalta que “o ideal é que 50% do espaço total da sua loja seja composto pelos perecíveis”.

Assim sendo, mesmo se você tiver “somente” um hortifrúti, padaria ou açougue, já é possível alcançar os R$ 2.500/m². Entretanto, é claro que o objetivo torna-se mais palpável quando você tem um supermercado mais completo, em que há uma diversidade de produtos e o seu estabelecimento conta com todas essas áreas.

Por outro lado, se o seu negócio não conta com a parte de perecíveis e é composto apenas por uma mercearia, será mais complicado atingir os  R$ 2.500/m² – a não ser que seja uma loja de atacado.

O quanto cada setor deve representar em vendas totais no seu supermercado? 

Para você ter uma noção ainda mais clara de quanto cada setor do seu supermercado deve entregar em vendas, confira as porcentagens sugeridas abaixo:

  • Açougue: 25% 
  • Hortifrúti: 11%
  • Padaria:
    – Própria: 4%
    – Terceirizada: 2,5%
  • Laticínios: 9%
  • Bebida: de 12% a 15%
  • Mercearia doce: 14%
  • Mercearia salgada: 5%
  • Limpeza: 5%
  • Perfumaria: 4%
  • Bazar: 2%
  • Pet: 0,5%

*Dados retirados do blog do Leandro Rosadas

“Ué, mas esse somatório dá mais do que 100%?” 

Sim, e é para dar mais de 100%. 

Tendo como base essas porcentagens, você poderá verificar quais setores da sua loja estão indo bem e, também, melhorar aqueles que estão com a representatividade de venda abaixo do recomendado. 

Se o seu setor de hortifrúti está vendendo 20% da sua loja, é provável que outros setores estejam deixando a desejar, certo? Pois bem, então verifique quais são eles e busque desenvolver ações personalizadas para eles. Sem deixar de lado, é claro, o seu setor de hortifrúti. 

Neste cenário, uma boa dica é contar com uma plataforma de Gestão de Clientes completa para o seu negócio. Com ela, você:

  • Conseguirá identificar o comportamento dos seus consumidores;
  • Poderá oferecer a oferta certa para cada um deles, fortalecendo o relacionamento com eles;
  • Ao mesmo tempo, poderá aumentar as vendas dos setores que estão com índices ruins.

Por exemplo: caso você perceba que o seu setor pet está muito parado, que tal fazer uma campanha segmentada para o setor? 

Na plataforma, você pode buscar quem foram os clientes que compraram produtos da área no último mês e mandar uma SMS exclusiva para eles. Na SMS, você manda uma oferta relevante, que seja compatível com o histórico de compra deles. 

Com uma ação personalizada e assertiva dessas, a chance de eles darem atenção para a sua mensagem é muito grande, acredite!

2. Crie um layout de loja impecável

Outra dica importante para alcançar os R$ 2.500/m² no seu supermercado é criar um ótimo layout de loja. Ou seja: organizado, prático e inteligente. Para isso, é importante você preocupar-se com as seguintes questões:

  • Iluminação: utilize uma luz adequada para valorizar os produtos na prateleira e deixar o ambiente agradável;
  • Distribuição do espaço: nada de amontoar mercadorias em um ponto e deixar outro espaço vazio. Busque fazer uma distribuição adequada do local, passando a impressão de que o seu supermercado “tem de tudo”, e, ainda assim, é bem organizado e ordenado;
  • Comunicação visual agradável: use nomes simples e cores para sinalizar a divisão dos departamentos do seu estabelecimento, evitando a poluição visual. Inclusive, aproveite para utilizar as cores a favor do seu negócio. Que tal criar um hortifrúti colorido, colocando lado a lado frutas com cores contrastantes?  
  • Organize as gôndolas: evite ao máximo a ruptura de estoque e mantenha as gôndolas sempre em dia. Ou seja, com os produtos com os rótulos virados para frente e dando destaque – deixando na altura do olhar – aqueles que são os queridinhos dos clientes/você deseja chamar mais atenção.

Lembre-se que investir no layout de loja é investir na experiência do consumidor. E, se o seu objetivo é alcançar os R$ 2.500/m² no seu supermercado, é essencial que você cause uma experiência positiva ao seu cliente.

3. Aproveite os pontos extras do supermercado com inteligência

Todo supermercado tem pontos extras. Estamos falando principalmente das ilhas promocionais, pontas de gôndola, o check stand (frente de caixa) e o clip strip.

Esses pontos extras, quando bem aproveitados, podem fazer toda a diferença para aumentar o ticket médio das vendas, favorecer a experiência do cliente na sua loja e, é claro, te ajudar a alcançar os R$ 2.500/m². Por isso, busque formas de colocar em prática as estratégias que evidenciam esses pontos. 

Por exemplo, que tal apostar em um cross selling matador nas pontas de gôndola? Utilizando os dados obtidos pelo seu software de gestão de clientes, você saberá quais são os produtos queridinhos dos seus clientes e poderá desenvolver estratégias vencedoras de cross selling. Algumas combinações que costumam funcionar muito bem são:

  • Cerveja + salgadinhos
  • Vinhos + chocolate + queijos 
  • Macarrão + molho de tomate + queijo-ralado + azeite de oliva
  • Morango + leite condensado 
  • Massa de pizza + molho de tomate + queijo + orégano
  • Carnes variadas + carvão + pão de alho + queijo coalho

Essas são apenas algumas sugestões de cross selling que você pode experimentar no seu supermercado. Porém, use a criatividade – e, é claro, o seu sistema de gestão de clientes – para ter mais assertividade nas suas estratégias.

Além do cross selling, não esqueça de fazer uma frente de caixa com produtos que são “difíceis de recusar”. Por exemplo, chocolates, refrigerantes, salgadinhos, balas, entre outros. Esses itens são ótimos para aumentar o ticket médio das vendas e gerar uma sensação positiva aos seus clientes.

4. Use todo o potencial do marketing digital a seu favor

Outra dica fundamental para você ter sucesso na hora de alcançar os R$ 2.500/m² no seu supermercado é: utilize o marketing digital para valorizar o seu negócio. 

Lembre-se que o marketing digital engloba:

  • Canais de comunicação diretos: SMS, WhatsApp,Telegram, e-mail, chatbot, push.
  • Redes sociais: Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, Youtube, Pinterest, entre outros.
  • Mídias pagas e sites online: blog de conteúdo, sites, sites de campanha/promoções.

Assim, você deve verificar quais desses canais fazem sentido para o seu negócio e, então, desenvolver ações específicas e assertivas para cada um.

Lembre-se que, seja quais forem os canais escolhidos e por mais que cada um deles traga suas particularidades, limitações, diferenças de formatos, entre outros, todos eles possuem algo em comum:

É essencial que você saiba com quem você está falando.

E é exatamente isso o que abordaremos no próximo tópico. 

5. Faça promoção dos produtos certos para os clientes certos

O que os seus clientes querem? Como oferecer o que eles querem e, ao mesmo tempo, criar ações que tragam alto ROI? 

Pois bem, para solucionar essas questões, há apenas um caminho: conhecer muito bem o seu cliente. E, para isso, é fundamental ter uma boa plataforma de gestão de clientes. Ou melhor, o CBM da Mercafacil.

É a partir desse conhecimento mais aprofundado sobre o comportamento do seu cliente que você poderá se debruçar em cima do marketing digital e fazer o seu planejamento de ações assertivas e com alto ROI.

Assim, conhecendo muito bem o seu cliente, utilizando a tecnologia de gestão a seu favor e colocando em prática as nossas dicas, com certeza será mais fácil você alcançar os tão desejados R$ 2.500/m² no seu supermercado.

Pronto para bater os R$ 2.500/m² no seu supermercado?

Por fim, que tal contar com a plataforma líder em Gestão de Clientes do Brasil para te ajudar a alcançar os seus objetivos? Marque uma demonstração gratuita com um dos nossos especialistas e surpreenda-se com as nossas soluções para o varejo. 

Mais de 1400 lojas ao redor do país já contam com o CBM da Mercafacil. Faça parte desse grupo você também!

Você sabia que utilizar SMS no varejo pode ser uma ótima forma de aproximar o seu relacionamento com o seu cliente? Isso mesmo!

Engana-se quem pensa que o “WhatsApp matou o SMS” ou que ela não é mais eficiente para o seu negócio. Muito pelo contrário: todos os canais de comunicação são complementares uns aos outros. Assim, utilizar um deles não significa ter que deixar outro de lado. Ademais, eles devem ser usados em conjunto, com maestria, para reforçar a comunicação da sua marca.

Pois bem, dito isso, hoje queremos te mostrar que usar SMS no varejo é uma estratégia efetiva, eficiente e que não pesa para o seu bolso. Além disso, ela pode ser utilizada tanto para atrair os seus consumidores fiéis quanto para reativar os clientes inativos. Porém, para isso, ela precisa ser bem utilizada pelo seu negócio. 

O que é SMS?

SMS é a sigla de Short Message Service. Em português, essa expressão pode ser traduzida como “Serviço de Mensagens Curtas”. Assim sendo, como o próprio nome sugere, SMS é uma ferramenta de comunicação utilizada para enviar textos curtos para os aparelhos celulares.

Desempenhando um papel importante no marketing das empresas, o sms no varejo pode ser usado para:

  • Envio de campanhas promocionais segmentadas;
  • Relembrar o seu cliente sobre a sua marca;
  • Incentivar interações do seu cliente com o seu varejo.
  • Complementar as estratégias de e-mail marketing e redes sociais, entre outros. 

De entrega imediata, com leitura de no máximo 3 minutos e taxa de abertura que chega a até 98%, o SMS é uma importante ferramenta para a sua estratégia de comunicação e não deve ser deixada de fora.

7 dicas para usar SMS no varejo

1. Tenha o contato atualizado dos seus clientes 

Ninguém gosta de receber SMS – ou qualquer tipo de mensagem pessoal, – de alguém que não pediu o seu contato. É invasivo e vai contra as boas práticas de comunicação.

Por isso é muito importante que você garanta que o seu cliente ofereça, de bom grado, o seu número pessoal de telefone celular. Quando o consumidor aceita fazer parte do seu Clube de Descontos, por exemplo, ele precisa oferecer o número de celular para o seu varejo.

Assim, você poderá utilizar esse número para enviar SMS’s relevantes e que mantenham o seu cliente por perto, ciente das ofertas especiais e campanhas da sua loja. 

2. Objetivo bem definido – se possível, com um link ao final

O SMS no varejo deve ser enviado com o objetivo muito bem definido. Como as mensagens são curtas e devem ter, no máximo, 160 caracteres, é essencial que você pense bem em qual campanha irá enviar e como irá enviar.  

Você pode apenas redigir algumas ofertas especiais em formato de texto. Porém, para melhores resultados, uma dica é você complementar o texto do SMS com um link que irá direcionar o cliente para o endereço digital que você deseja. Um exemplo é mandar o link de um tabloide digital, de um cupom de desconto, de uma landing page ou do seu site, informando a loja mais próxima para o cliente. 

3. Crie senso de urgência

Para ter um resultado ainda melhor utilizando SMS no varejo, coloque um prazo de validade para as suas ações, criando um senso de urgência e de curiosidade no seu cliente. Por exemplo: “Só hoje você encontra o produto X por YY reais. Aproveite!”

4. Segmente para melhores resultados 

O SMS no varejo é um meio de comunicação altamente pessoal, assim como o e-mail. Por isso, para que ele seja ainda mais valioso e traga resultados impressionantes para a sua marca, faça uma boa segmentação dos seus contatos.

A segmentação dos seus contatos é uma forma de você mostrar para o seu cliente que você sabe exatamente quem ele é e o que ele costuma comprar na sua loja. Esse conhecimento pode ser usado em datas comemorativas sazonais ou para ofertas para reativar, atrair e/ou fidelizar seus clientes. Confira alguns exemplos: 

Data festiva – Dia da Mulher

  • Segmentação: clientes mulheres à partir de 18 anos. Tanto clientes ativas quanto inativas. 
  • Exemplo de texto: “Feliz dia da mulher! Apresente esse SMS no caixa e ganhe 10% de desconto na sua compra de hoje”

Público específico – setor petshop

  • Segmentação: pessoas que compraram no setor de petshop da sua loja nos últimos 3 meses.
  • Exemplo de texto: “Ofertas exclusivas do Clube de Descontos [NOME DO MERCADO] para você, que ama seu pet! Acesse o link e confira: [link do encarte] Ofertas válidas até amanhã”

Reativação de clientes 

  • Segmentação: clientes inativos, que não visitaram a sua loja nos últimos 30 dias.
  • Exemplo de texto: “[Primeiro nome], estamos sentindo a sua falta! Confira as ofertas exclusivas que preparamos para você: [link para ofertas]. Preços válidos até [uma semana de prazo]”. Aproveite!

Para os clientes inativos, resgate o histórico de compra deles, veja o que eles costumavam comprar e, dentro das suas limitações de valores, busque oferecer uma oferta imperdível. 

5. Leia, releia, revise…

São é porque é curto que o SMS no varejo pode ser mandado “de qualquer jeito”. Muito pelo contrário!

Exatamente por ser um meio de comunicação altamente objetivo e direto, é fundamental que você tenha uma grande atenção com a língua portuguesa e a ortografia da sua mensagem. Aposte em textos curtos, de fácil entendimento e que não deixem espaço para dúvidas ou duplos sentidos.

Por isso: escreva, leia, releia, revise e peça a opinião de outras pessoas para garantir que a sua SMS no varejo está impecável.

6. Não seja inconveniente ao mandar SMS no varejo

Você ter o contato e a autorização dos seus clientes não é o desculpa para bombardeá-los de mensagens ou enviá-las em horários inadequados. Assim sendo, não seja aquela marca inconveniente, que manda SMS após o horário comercial ou com mensagens que não possuem um conteúdo relevante para o seu cliente, apenas “enchendo linguiça”.

7. Mensure os resultados das suas ações

Como saber se as campanhas de SMS feitas pelo seu varejo estão efetivamente funcionando? Metrificando e mensurando os resultados dela.

Para isso, pode ser interessante utilizar uma ferramenta completa de CBM, como a da Mercafacil, por exemplo. Com ela, você tem dados o suficiente para saber, dentre os clientes que receberam o SMS, quantos – e quais deles – foram até a sua loja no período de validade das ofertas e o que eles compraram.

Ter esses dados é fundamental para garantir que as suas campanhas não sejam feitas baseadas em “achismos” e, principalmente, para você definir quais ações podem ser mantidas daqui para frente, quais devem ser melhoradas e quais podem ser descartadas. 

Hora de começar a usar SMS no varejo!

Gostou de saber um pouco mais sobre como usar SMS no varejo? Ficou com alguma dúvida no assunto ou não sabe como começar a aplicar essa estratégia nos seus negócios? Então aproveite e agende agora mesmo uma reunião gratuita com um dos nossos especialistas e saiba como a Mercafacil pode te ajudar a transformar o envio de SMS em uma poderosa estratégia de marketing para o seu supermercado.

Saber como gerenciar redes sociais que engajam pode ser um ponto de destaque para o seu varejo frente a concorrência.

Hoje, pode-se dizer que quase todas as empresas utilizam as mídias sociais em sua estratégia de divulgação. Segundo a pesquisa Social Media Trends 2019, 96,2% das companhias companhias usam as redes sociais para promover a sua marca e torná-la mais conhecida.

O que isso significa? Que apenas criar perfis e páginas nesses canais não é necessariamente um diferencial. Porém, desenvolver estratégias e conteúdos de redes sociais que engajam de verdade é, sim, um ponto de destaque.

Mas como fazer isso? Como ser um destaque em um cenário onde mais de 90% das marcas já utilizam as redes? Confira nosso texto e anote nossas dicas.

Compreendendo o cenário das redes sociais 

Primeiramente, é fundamental compreender que: se mais de 90% das empresas utilizam as redes sociais, é fundamental que você também as use, correto? Senão, você já sai no prejuízo e fica para trás. Partindo disso, podemos seguir em frente.

Ideais para marcar a sua presença online, as redes sociais funcionam como uma extensão da sua marca no mundo digital. Elas permitem que você tenha uma relação mais pessoal e próxima com o seu consumidor.

Além disso, nas redes você pode publicar assuntos que sejam do interesse dos seus clientes, gerando engajamento e, até mesmo, educando-os sobre temas relacionados com a sua marca – direta ou indiretamente. Entenda um pouco melhor.

Redes sociais que engajam: conteúdo educativo

Falando dos supermercados, por exemplo, uma forma de educar indiretamente o seu consumidor é fazer uma postagem com alguma receita especial. Esse conteúdo pode despertar o desejo, a curiosidade e o interesse do leitor, mas não quer dizer que ele vá precisar ir até a sua loja para fazer a receita.

Ou seja, esse é um exemplo de conteúdo feito focado no interesse do seu cliente. Mostrando que, tanto a sua loja física quanto nos seus canais digitais, ele é o seu foco principal.

Além de receitas, você pode falar sobre inúmeros assuntos relacionados com produtos que ele pode adquirir na sua loja e, também, que possam melhorar o dia a dia dessa pessoa. Por exemplo:

  • Dicas para limpar a casa ou mantê-la organizada;
  • Dicas de sustentabilidade para o dia a dia;
  • Sugestões de aplicativos para facilitar a rotina;
  • Brincadeiras e “memes” interativos;
  • Postagens sobre datas comemorativas;
  • Conteúdos sobre diversidade, inclusão e campanhas solidárias, etc.

Essas são somente algumas opções de linhas editoriais que você pode seguir nas suas redes sociais para entreter, engajar e criar proximidade com o seu público.

Lembre-se que aqui o seu foco principal não é a venda, mas sim a criação e o fortalecimento do relacionamento. 

Redes sociais que engajam: conteúdo para vender

Além dos conteúdos educativos, você também pode usar as suas redes para fazer postagens que resultem busquem pelo aumento de vendas e de faturamento.

Alguns exemplos são as campanhas e sorteios com seus seguidores que podem dar prêmios e descontos, por exemplo.Além disso, pode fazer uma postagem especial informando ao seu seguidor que, se ele mostrá-la no caixa, ele ganha algum brinde ou algum desconto, por exemplo.

O foco é sempre o seu cliente, mas você pode utilizar as mídias para trazer informações institucionais também, informando sobre a abertura de novas lojas, sobre seus horários de funcionamento, depoimentos de clientes/parceiros/fornecedores, entre outros.

O legal é que haja uma mescla de conteúdos educativos, institucionais e aqueles voltados para a venda. Assim, a sua rede ficará mais equilibrada e poderá trazer bons resultados para a sua marca. 

Como ter redes sociais que engajam?

Pois bem, agora que você já sabe um pouco mais sobre alguns tipos de postagens que você pode fazer nas suas redes, certo?

Ah, e vale sempre lembrar que um ponto altamente relevante dessas ferramentas é que elas são gratuitas. Ou seja, você não precisa pagar nada para abrir a sua conta no Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, Youtube e demais mídias.

Ademais, é muito importante ter um planejamento e uma constância nas postagens. Você pode testar horários e frequências até encontrar aqueles mais adequados para o seu negócio. Não existe certo ou errado, mas sim aquilo que funciona para você. E, para isso, é fundamental que você teste.

Além disso, outras dicas que você pode seguir para ter redes sociais que engajam são:

1. Saiba onde está o seu público

Quem é o seu público e quais redes sociais ele utiliza? Em quais dessas redes é relevante você produzir e compartilhar conteúdo? Ademais, quais são os outros interesses dos seus consumidores, quais perfis eles seguem e quais conteúdos consomem?

Ter esses conhecimentos vão te ajudar a definir o que você pode produzir e quais linhas editoriais explorar.

Por isso, a gestão de clientes é tão eficiente. Ela permite que você tenha conhecimento de hábitos variados do seu público. Hábitos esses que vão, dentre outros inúmeros benefícios, te ajudar a produzir materiais para as suas redes. 

2. Ofereça conteúdos relevantes

Como diz Vitor Peçanha no livro “Obrigado pelo marketing”:

Aumentar a retenção, de maneira geral, gira sempre em torno de oferecer conteúdos relevantes, com frequência, para seus clientes, de maneira que eles tenham mais sucesso ao interagir com sua marca e que você esteja sempre na mente deles nos momentos em que eles decidirem fazer novos negócios.

Vitor Peçanha, “Obrigado pelo marketing”

O autor do livro também fala que: “um bom conteúdo, direcionado, pode ajudar a sua loja a criar clientes recorrentes”.

Por isso, seja qual for o conteúdo que você irá produzir e compartilhar, lembre-se SEMPRE que o foco está no seu cliente. Assim sendo, coloque-se no lugar dele e pense “eu gostaria de estar recebendo esse material”? 

3. Pesquise e organize-se 

Uma boa produção de conteúdos deriva de uma boa pesquisa. Afinal, é assim que você irá se inspirar para colocar as suas ideias “no papel”.

Também, uma boa dica é pensar em dias da semana para postar sobre cada editoria relevante para o seu supermercado. Você não precisa seguir religiosamente essa organização, mas ela pode te ajudar na hora de definir os temas de postagem. Por exemplo: 

  • Segunda-feira: receita saudável para começar a semana ou sobre algum alimento/ingrediente da moda, seus benefícios, entre outros;
  • Terça-feira: postagem com tema institucional – pode ser sobre o seu Clube de Descontos ou Televendas, sobre horários de funcionamento da loja, seu blog/site… 
  • Quarta-feira: dica para a rotina – pode ser um conteúdo sobre exercícios físicos, para organizar o ambiente de trabalho, para aumentar a produtividade, dicas financeiras…
  • Quinta-feira: falar sobre sustentabilidade, diversidade, campanhas solidárias, etc
  • Sexta-feira: receita gostosa para fazer no final de semana de semana;
  • Sábado: editoria para falar de assuntos mais leves, como pets, brincadeiras para fazer com as crianças, decoração…
  • Domingo: dica de leitura, de filme ou de série, frase motivacional…

Esse “calendário editorial” é só uma amostra de como você pode trazer diversos temas para as suas redes sociais, mantendo os seus seguidores engajados e sempre em contato com você.

Ainda, não necessariamente você precisa fazer postagens todos os dias. Atualmente, aqui na Mercafacil, nós postamos em nosso Facebook, Linkedin e Instagram nas quartas e sextas, por exemplo. 

4. Teste!

Como já dissemos anteriormente, você só vai efetivamente saber como ter redes sociais que engajam se você testar. E testar muito!

É somente produzindo conteúdo relevante, entrando em contato com os seus clientes. testando os horários e linhas editoriais que você vai saber o que gera mais engajamento para o seu negócio.

Busque sempre referências de páginas que você gosta e organize-se para criar uma rotina. Assim, você terá maiores chances de fortalecer o relacionamento com o seu consumidor e de ter a sua marca lembrada na hora que ele for fazer uma compra. 

Por fim, terminou de ler o nosso texto e ficou com alguma dúvida? Está em busca de otimizar a sua gestão de clientes para começar a criar redes sociais que engajam para o seu varejo? Então agende uma reunião gratuita com um de nossos consultores e saiba como podemos te ajudar nessa missão.

Você sabia que é possível aumentar a receita da sua loja com WhatsApp?

Encontrar formas de aumentar a receita é um trabalho recorrente para todos os tipos de empresas. Será com o sucesso dessa estratégia adotada que a loja pode investir em novas unidades, inovação e melhorar sua estrutura.

Quando se fala em aumentar o faturamento certamente um dos primeiros pensamentos é que novos clientes precisam ser atraídos.

Essa é sim uma forma válida, mas também existem outras maneiras que podem contribuir no crescimento da sua loja.

No post de hoje vamos te mostrar como usar o Whatsapp pode contribuir para o aumento das suas vendas.

Aumentar a receita com o uso do Whatsapp

Um relatório feito pelo site We Are Social em 2019 identificou que o WhatsApp é a terceira rede social mais utilizada no Brasil.

Um outra pesquisa feita pelo Grupo Croma mostrou que ele é o aplicativo mais acessado pelos brasileiros.

Com essas informações em mãos já é possível ter uma ideia dos resultados que uma estratégia no WhatsApp pode trazer para a sua loja.

Além disso, é importante que você tenha objetivos bem definidos e tome  alguns cuidados para obter sucesso com essas ações e consiga aumentar a receita da sua loja com WhatsApp.

Separamos os principais pontos fortes de utilizar o WhatsApp como um canal de comunicação da sua empresa, confira!

Relacionamento com o consumidor

Empresas que buscam o sucesso precisam estar onde os seus clientes ou possíveis clientes estão.

Como já foi falado, o WhatsApp é uma das redes sociais mais utilizadas no Brasil. Esse já é um forte indício que um trabalho bem feito nesse canal pode contribuir para o aumento nas vendas.

Ter esse canal como uma opção de contato é bom para a sua empresa e também para o cliente.

É importante lembrar que para o consumidor esse canal só será relevante se você utilizá-lo corretamente. De nada irá adiantar ter esse meio de comunicação e não responder os clientes, por exemplo.

Por isso, também é importante que você defina um horário de atendimento para esse canal e o comunique para os clientes.

Com isso bem definido, sem dúvidas esse pode ser um dos canais mais úteis e relevantes na sua estratégia de comunicação.

Você pode utilizar o canal para diversos tipos de ações, então também é importante definir qual será a função dele.

Um canal para atendimento ao cliente é uma boa opção. Você pode aproveitar para aplicar pesquisas de satisfação, comunicar novidades e também aviso relevantes.

Outra ideia é utilizar como um canal de divulgação de ofertas, que inclusive pode ser trabalhado de maneira segmentada.

Uma opção é nutrir o consumidor com conteúdos relacionados aos seus produtos. No setor supermercadista pode ser feito o envio de receitas, por exemplo.

Seja qual for o formato escolhido, certamente esse será um canal interessante para a relação com o consumidor. Principalmente por ser um aplicativo muito presente no dia a dia deles.

Mensuração de resultados

O uso de dados é fundamental para o desenvolvimento de uma estratégia de sucesso.

Em primeiro lugar ele pode servir como base para a criação de uma ação, influenciar na tomada de uma decisão e identificar oportunidades.

Além disso, você pode utilizar as informações de ações já realizadas para aprimorar as suas próximas campanhas.

Muitos canais já oferecem a possibilidade de mensuração dos resultados e hoje canais que não mostram esses dados têm perdido espaço.

Não é o caso do WhatsApp, que em sua plataforma de negócios oferece estatísticas completas sobre o envio, recebimento e leitura.

É interessante também acompanhar a interação do público com as suas mensagens. Dessa forma também é possível encontrar uma linguagem mais apropriada e efetiva para esse canal.

Automatização de conteúdo

Mesmo que uma das razões de utilizar o WhatsApp seja criar um canal de contato mais próximo com os clientes, automatizar algumas mensagens também pode ser útil.

Mensagens automáticas podem ser de grande valor principalmente no primeiro contato. Você pode deixar programada uma mensagem de boas vindas, por exemplo, quando os clientes enviarem uma mensagem para o seu número.

Para outras questões pontuais como envio de informações sobre horário de funcionamento e métodos de pagamento, a automatização também pode ser útil.

Ações segmentadas

Já é possível criar ações de comunicação segmentada em diversos canais e no WhatsApp isso também é possível.

É claro que para criar esse tipo de ação você precisa ter um cadastro dos seus clientes e identificar as compras deles.

Na momento de utilizar o WhatsApp também é importante que você tome alguns cuidados importantes.

Em primeiro lugar é necessário que você peça permissão aos seus clientes para enviar essas mensagens.

A compra de listas telefônicas, por exemplo, é uma prática que ainda existe e que pode trazer diversos problemas para uma empresa. Algumas empresas também já sofreram com processos por conta do envio de mensagens em massa.

Então para que tudo funcione corretamente deixe seus clientes cientes em relação ao envio e tome cuidado para não exagerar no envio de mensagens.

O WhatsApp faz parte do dia a dia e receber muitas mensagens neste canal pode irritar o consumidor.

E por outro lado fazer parte da rotina pode ser positivo se você segmentar o seu público corretamente.

Além da oportunidade de aumentar a receita da sua loja com WhatsApp.

Você já utiliza esse canal em sua loja? Se ainda não utiliza, acredita que pode ser um meio de contato eficiente?

Deixe nos comentários a sua opinião sobre esse tema e até o próximo post do nosso portal.

A construção de uma base de clientes tem se tornado cada vez mais importante para a gestão de supermercados.

Esse é um trabalho que pode trazer benefícios para diversos setores da loja e consequentemente se traduzir em resultados melhores para você.

Uma situação bem comum quando se fala em possuir uma base de consumidores é a dúvida em relação ao processo para que ela seja construída.

Acompanhe nosso post de hoje para descobrir 3 formas de captar as informações dos seus clientes.

Como construir uma base de clientes

1 – Crie um programa de fidelização

Esse certamente é o primeiro passo para que você tenha uma base de consumidores completa. Afinal, porque os clientes irão fornecer os dados deles para você se não receberem nada em troca?

Por esse motivo, um programa que mostre vantagens para o consumidor ao oferecer benefícios em troca do cadastro é fundamental.

O formato que será adotado fica a seu critério, já que ele precisa fazer sentido na sua estratégia. A principal diferença entre o tipo de programa escolhido, está no benefício que ele irá entregar para o consumidor.

Um clube de descontos, por exemplo, vai entregar um benefício imediato no momento da compra por meio de um preço diferenciado. Já um programa de pontos, vai ofertar um benefício a longo prazo com a troca dos pontos obtidos pelo cliente.

Existem também outras formas de construir a sua base de clientes como os programas de cashback, crediário, sorteios, entre outros. O mais importante na hora de escolher é entender qual deles pode atrair o maior número de consumidores. Afinal, quanto mais cadastros realizados maiores serão as suas possibilidades de utilizar os dados para a gestão dos seus clientes e da sua loja.

A Mercafacil que atua em mais de 700 lojas pelo Brasil adota o clube de descontos como meio para construir a base de clientes.

Esse método foi escolhido, pois se mostrou capaz de atingir um percentual de clientes cadastrados bem superior aos demais.

2 – Investimentos em canais de comunicação

Um erro bem comum nas lojas que não conseguem impulsionar o cadastro de consumidores é a falta e a falha nos processos de comunicação.

Com o meio de captar os dados dos clientes bem definido é preciso torná-lo conhecido pelo público. Para isso, os canais de comunicação serão muito importantes. Principalmente no início do processo a sua comunicação precisa ser trabalhada ativamente.

Em primeiro lugar, para os clientes estarem cientes sobre o funcionamento do programa e também os benefícios que eles irão ter em fazer parte dele.

Fornecer os dados é algo que ainda afasta alguns clientes, mas com a popularização dos programas de fidelização isso tem mudado.

Mesmo assim, é importante que você comunique claramente tudo que envolve esse cadastro e as ações que podem ser tomadas posteriormente.

Além da comunicação inicial para atrair os clientes, você deve prestar atenção no contato com os clientes que estão comprando na sua loja.

Nesse momento, a variedade de canais pode ser ainda mais importante. Já que ter uma comunicação recorrente com os cliente pode contribuir na retenção. Vale lembrar que é importante criar ações com foco nas vendas e também no relacionamento com quem compra de você.

Consequentemente, esses clientes podem atuar como advogados da sua marca e indicar o seu programa a outros possíveis consumidores. Assim, aumentando a sua base de clientes cada vez mais.

3 – Ações de incentivo ao cadastro

Construir uma base de clientes é uma mudança de cultura tanto para a empresa quanto para os consumidores.

Ambos vão passar por um processo de adaptação, por isso é importante que a sua equipe seja bem treinada previamente. Você terá esse tempo de preparação, já o cliente não.

Por esse motivo, o tópico anterior no qual falamos sobre a comunicação é bem importante para o sucesso da estratégia.

No lançamento do programa de fidelização as ofertas costumam ser mais agressivas para atrair os clientes, mas também podem ser complementadas com essas ações de incentivo.

Uma das principais ideias é o uso de um sorteio. Para a participação o consumidor precisa estar cadastrado no seu programa e realizar uma compra de algum valor predefinido.

Dessa forma, além de obter o cadastro você já começa a identificar os hábitos de compra do cliente.

Gostou das nossas dicas? Esses podem ser bons passos para você começar a construir sua base de clientes.

Confira em outro post do nosso blog como e porque fazer uma venda com cadastro.

Saber como fazer uma campanha efetiva certamente é uma das melhores opções para toda empresa. Principalmente por conta da aproximação do relacionamento com o cliente e do acerto na hora de atender aos gostos e às necessidades deles.

Além disso, trabalhar com segmentações pode ajudar a diminuir os riscos na hora de oferecer produtos e, consequentemente, diminuir o prejuízo em caso de insucesso. A fidelização é outra questão que é fortalecida com campanhas segmentadas.

Os resultados podem até ser obtidos mais facilmente com esse tipo de ação, mas nem sempre realizá-las é tão fácil. Pensando nisso, a Mercafacil criou um passo a passo de como fazer campanhas segmentadas, acompanhe.

Como fazer campanha segmentada em supermercados?

Como se trata de varejo de alta recorrência, as campanhas para supermercados têm suas particularidades. Talvez a principal delas seja encontrar o ponto certo entre manter contato e não ser invasivo.

Os supermercados são recorrentes na vida dos clientes, então sua comunicação com ele deve ser da mesma forma. Contudo, isso não quer dizer que você precisa falar com seu consumidor todos os dias.

E como encontrar esse meio termo? Você precisa conhecer os clientes, pois cada um tem o seus hábitos e preferências de compra.

Certamente em seu supermercado existe um cliente que compra algo todo dia ou toda semana, outro de 15 em 15 dias e talvez até um que só compre 1 vez por mês em uma quantidade maior. Primeiramente, você precisa entender os hábitos de compra de cada um deles para, aí sim, oferecer algo relevante para ele.

Para entender esses hábitos, você precisa investir em uma tecnologia capaz de fornecer esses dados para sua empresa. Depois de possuir os dados e analisá-los você está mais próximo de saber como fazer uma campanha de vendas de sucesso. Veja o passo a passo:

Passo a passo – Como fazer campanhas segmentadas

1- Negociação comercial

Qual a melhor forma de fazer ofertas mais relevantes para os clientes sem atingir a margem dos produtos? Comprar os produtos por um valor menor.

Essa pode até não ser uma tarefa fácil, mas com alguns dados você consegue convencer os fornecedores. Claro que para isso você vai precisar provar que vale a pena para ele também.

Como pode fazer isso? Você vai precisar de uma plataforma de análise de dados que mostre os dados de compra dos produtos, dessa forma será possível criar uma segmentação dos produtos mais consumidos pelos clientes. 

Se você conseguir mostrar que determinado produto tem alta saída em sua loja sem ofertas, imagine quanto poderia gerar a mais caso você pudesse dar um desconto maior. Assim, você mostra que o fornecedor sairá ganhando na quantidade vendida, ou seja, em escala.

Com essa prática você pode melhorar suas negociações e também tornar as suas ofertas mais relevantes para os seus clientes.

2 – Escolha dos produtos em promoção

É uma passo bem importante na estruturação da campanha e de certa forma arriscado, pois lida com a margem que o supermercadista tem sobre os produtos. Nós sabemos que nenhuma ação pode trazer prejuízo para sua loja. Por isso, o alinhamento com o comercial/compras do seu supermercado é essencial.

Em primeiro lugar, conhecer a gama de produtos da loja e a taxa de saída deles é fundamental na hora de escolher os produtos que vão entrar em promoção.

Você deve lembrar que ações segmentadas buscam reter e fidelizar os clientes, então eles também devem ser levados em conta na hora da escolha dos produtos.

3 – Criação de encarte (impresso ou digital)

Os encartes já existem há muito tempo como forma de comunicar as ofertas do supermercado para os clientes. Com o passar dos anos e os avanços tecnológicos, ele ainda se mantém vivo no formato tradicional, mas agora tem se espalhado em outros formatos.

Encartes digitais têm ganhado cada vez mais espaço na comunicação dos supermercados via site, redes sociais ou até mesmo no envio de SMS com link direto para o encarte, que se mostra um tipo de comunicação muito eficiente.

Qual dos dois escolher? Existe algum mais efetivo? É complicado encontrar um meio termo quanto se trata desse assunto. Existem empresas que só utilizam os digitais, outras os dois e até mesmo alguns que só utilizam o formato tradicional.

Seja qual for o tipo de encarte escolhido, o ponto chave é chamar a atenção do cliente e ser relevante para ele, então ofertas segmentadas e produtos relacionados podem compor um bom encarte. Temos um material em que nosso consultor dá dicas valiosas para fazer um encarte que vende mais, não deixe de conferir.

E não se esqueça de mensurar os resultados dos encartes, pois esses dados podem te dar insights sobre a relevância ou não desse formato de divulgação e melhorar sua estratégia de comunicação. (Não sabe como fazer isso? Agende uma consultoria gratuita e descubra)

4 – Definição do período da campanha

Definir por quanto tempo uma oferta será válida é muito importante na hora de realizar uma campanha segmentada.

E por quê? Porque a oferta precisa criar um senso de urgência no cliente, dessa forma o ROI da campanha chegará mais rápido e os resultados percebidos. Se um produto fica em oferta por muito tempo, o consumidor tende a adiar a compra, pois sabe que ela estará disponível mais pra frente, em outros encartes por exemplo.

Uma campanha geralmente dura de 3 a 4 dias, que seria o tempo de uma oferta para o fim de semana. O restante pode durar um dia ou dois. Assim, os clientes criam esse senso de urgência para comprar em sua loja.

5 – Definição dos meios de divulgação

Realizar ofertas segmentadas é uma ótima forma de reter e fidelizar clientes, disso certamente você já sabe.

Para que uma ação desse tipo aconteça da maneira que é esperada outros fatores devem ser levados em consideração. Um deles é a forma de divulgação dessas ofertas.

Por experiência de mercado, a Mercafácil já constatou que o envio de SMS é extremamente receptivo por parte dos clientes, o que o torna um dos meios de divulgação mais efetivos e é o modo como estimulamos nossos clientes a realizarem suas campanhas.

Além disso, você também pode apostar em distribuição de encartes, carro de som, divulgação de ofertas nas redes sociais… Tudo vai depender da sua estratégia de marketing.

Escolha o meio de divulgação que melhor se encaixe nos padrões da sua loja e certifique-se de que será possível medir os resultados dessa divulgação. Isso é o mais importante quando se deseja uma campanha efetiva.

6 – Escolha do mote

O que você vai divulgar na sua oferta? Um churrasco para o fim de semana? Ofertas de nicho? Muitos supermercados trabalham com dias específicos para realizar ofertas de um segmento, outros preferem usar o fim de semana. Não existe uma regra a ser seguida.

Nessa questão, a consultoria varejista pode ser de grande ajuda para os supermercados. A escolha de ofertas não é tão simples quanto parece e profissionais especializados na área certamente irão contribuir para os resultados serem ainda melhores.

7 – Criar segmentação

Criar campanhas para públicos segmentados aumenta consideravelmente suas chances de acerto. Afinal, você pode oferecer itens que a pessoa está mais propensa a comprar.

Na hora de criar uma campanha desse tipo escolher a segmentação também é importante. Quanto mais específicas elas forem, maior as probabilidades da sua ação ser um sucesso de vendas.

Para segmentar o público existe uma grande variedade de filtros que podem ser aplicados. Entre eles estão alguns como gênero, clientes que compraram determinado produto e hábitos de consumo, como frequência de compra. Cabe a você escolher o que deseja para cada ação e partir para a criação da campanha.

8 – Criar campanha

Depois de passar por todos os passos anteriores você já está pronto para criar a sua campanha de vendas segmentada.

Se você escolher fazer sua campanha com o envio de SMS, vai precisar criar um pequeno texto para enviar ao cliente, como esse de um de nossos clientes:

ADRIANA, para você que ama seu PET, Ofertas exclusivas CLUBE DE DESCONTOS do Pais e Filhos! Acesse o link https://bit.ly/2zggK10 e confira.

Nesse texto, o supermercadista optou por enviar o link do encarte digital junto com o SMS.

Caso você prefira divulgar sua ação com a entrega de encartes, tudo certo também! Lembre-se do fato de que as ofertas devem ser relevantes para o cliente. Uma dica: aposte em um encarte que seja simples e claro.

9 – Programar o disparo

Novamente vai depender de qual será o formato escolhido para fazer a divulgação da campanha.

Essa é uma questão que também não existe uma regra, existem supermercadistas que preferem enviar suas SMS na noite anterior ao dia da oferta, pois acreditam que é um horário que o cliente vai estar mais tranquilo, outros preferem enviar na manhã do início do período da oferta.

Fazer testes de receptividade dos clientes é uma boa alternativa até encontrar um horário que seja o mais adequado.

Isso também vale para o envio dos encartes digitais. Já os encartes físicos costumam ser entregues durante o dia. Para ofertas de mais de um dia, então também é importante escolher um período em que possa ser feito um grande número de entregas.

10 – Mensurar resultados

Tão importante quanto realizar ações é mensurar os resultados que ela gerou. E porque isso é necessário? Primeiramente por conta de identificar se o investimento feito na campanha trouxe um bom retorno para a empresa. Ninguém quer gastar dinheiro à toa, sem ter algum lucro de volta, certo?!

Além disso, medir os resultados contribui para a definição de uma estratégia recorrente de campanhas e também para observar como é o engajamento do público com diversos tipos de campanhas possíveis de serem realizadas.

O processo da criação de uma ação segmentada deve ter extremo cuidado, desde a negociação com os fornecedores até a mensuração de resultados.

Uma falha no procedimento pode fazer com que a campanha não tenha sucesso e traga prejuízo na própria campanha ou nas próximas. Por isso, é muito importante medir os resultados corretamente.

Bônus: Ideias de campanhas segmentadas

Tão importante quanto criar ações segmentadas é criar campanhas que realmente tragam bons resultados para o seu supermercado. Por isso, os passos 6 e 7 do nosso guia tem uma grande importância para o resultado final da sua estratégia.

Nesses tópicos comentamos algumas ideias que você pode utilizar e agora daremos algumas outras dicas, confira:

Aniversariantes

Essa é uma campanha que pode mostrar um posicionamento claro da sua empresa. Investir no relacionamento com os clientes é algo fundamental no mercado atual, no qual a concorrência cresce continuamente.

Supermercados já têm sofrido com a concorrência das lojas de proximidade, de conveniência e até das farmácias.

Por esse motivo, é importante que você invista na fidelização de clientes. Um simples parabéns no aniversário já pode ser uma ótima ideia nesse sentido.

Algumas lojas optam também por oferecer algum benefício ou brinde para aproximar ainda mais essa relação.

Na plataforma Mercafacil essa segmentação pode ser criada com o critério dinâmico. Dessa forma, diariamente ela atualiza e envia as mensagens para os aniversariantes.

Açougue

Os supermercados tradicionalmente possuem setores que têm uma saída mais alta do que outros. Conhecer quais são os clientes que costumam comprar desses setores pode se traduzir em campanhas de sucesso.

Uma ideia é criar um festival do churrasco no seu supermercado. Essa é uma opção que vai movimentar outros setores também, mas o foco das ofertas pode ficar no setor de açougue.

Com a segmentação dos clientes que tem o hábito de consumir esse tipo de produtos, certamente sua campanha pode ter sucesso.

Confira uma ideia de mensagem que você pode enviar:

FESTIVAL DO ACOUGUE MERCADO .Confira nossas ofertas para essa DATA , em nossas lojas. para encher o carrinho e economizar muito.  LINK REDUZIDO DE ENCARTE.

Que tal colocar essa ação em prática na sua loja ainda essa semana?

Resgate de Inativos

Saber quem deixou de comprar no seu supermercado é uma informação de grande importância, não é mesmo? 

Esses dados podem ser ainda mais importantes se você souber como utilizá-los para fazer o cliente voltar a comprar.

Criar um segmento com esse grupo de clientes que não comprou de você recente pode ser uma ótima opção de campanha. Para resgatar esses consumidores você pode usar diversas estratégias.

Uma das principais é utilizar produtos da curva A com descontos especiais para atrair o público. Outra opção é criar um encarte com itens que os clientes desse grupo já consumiram anteriormente.

Para disparar a sua ação separamos uma ideia de mensagem, confira:

[primeiro nome] sentimos a sua falta! Aqui no MERCADO voce tem ofertas exclusivas!  LINK REDUZIDO DE ENCARTE Nao perca”

Com uma boa campanha segmentada certamente sua empresa vai conseguir mais dinheiro e melhores resultados. É por isso que a Mercafacil estimula os supermercadistas a realizarem esse tipo de ação, que já trouxe resultados surpreendentes. Confira alguns dos nossos estudos de caso.

Você já trabalha com encarte digital no seu supermercado? Essa é uma prática que tem crescido no varejo e certamente pode contribuir para o aumento das suas vendas.

A distribuição de encartes é uma prática bem comum em supermercados. Contudo, o investimento para a produção e distribuição desses materiais é alta. 

Certamente você já sabe que o investimento em marketing digital tem um custo bem abaixo dos canais tradicionais. Em meio a essa situação, novos canais de comunicação surgiram e outros foram se adaptando para não perder força, como é o caso dos encartes.

Confira em nosso post de hoje um pouco mais sobre os encartes digitais e como você pode fazer a distribuição deles no seu supermercado.

Por que investir na produção de um encarte digital?

Os investimentos em estratégias digitais tem crescido muito ao longo dos anos em diversos setores e no caso do varejo não é diferente.

É simples entender as razões para que isso aconteça. Um estudo feito em 2018 pelo IBGE registrou que o Brasil alcançou a marca 116 milhões de pessoas com acesso à internet.

Uma grande oportunidade para se comunicar com os clientes da sua loja, não é mesmo? É nesse cenário que o marketing digital pode ajudar o seu supermercado. 

É claro que é preciso desenvolver um plano consistente de comunicação para que os resultados esperados sejam atingidos.

Um dos principais problemas dos anúncios digitais é que eles se tornem invasivos na experiência do seu consumidor. Fato esse que pode gerar o desinteresse pela sua marca e certamente não é isso que você quer.

Diante disso, utilizar um material como os encartes que já é tão popular nos supermercados pode surtir o efeito esperado.

O aumento do uso de internet e dos celulares possibilitou que esses materiais sejam distribuídos de outras formas.

O que é ainda melhor é que você pode ter um controle sobre quem realmente recebeu seu material. No caso dos encarte físico essa mensuração não acontece.

Então na equação do investimento alto e a falta de mensuração o encarte físico tem perdido força. Alguns supermercados que utilizam a plataforma Mercafacil inclusive já migram todos os seus materiais para o ambiente digital.

O que é uma decisão acertada, já que o investimento é menor e existe a possibilidade de confirmar se o consumidor realmente recebeu e abriu o seu conteúdo.

A mudança do físico para o digital

As constantes inovações para o mercado varejista tem criado um desafio, que é essa transição do físico para o digital.

É claro que nem tudo vai passar 100% para o digital, como é o caso dos pontos de venda. Porém, alguns serviços certamente vão precisar migrar para o digital completamente ou no mínimo em algumas partes.

Isso acontece, pois o digital facilita a gestão principalmente em relação ao registro de dados e informações importantes.

Diante disso fica claro que o digital tende a ganhar cada vez mais espaço na gestão de supermercados.

É importante ressaltar que qualquer tipo de mudança precisa ser feito de maneira gradual. Não será do dia para a noite que você irá para de distribuir seus encartes físicos e apenas enviá-los digitalmente.

Primeiro porque você irá precisar de um cadastro dos seus clientes para entrar em contato com eles. Além disso, também é preciso testar canais que trazem resultados melhores nessa distribuição digital.

Entre as principais formas de divulgação estão as redes sociais, o email marketing e o envio de SMS. Nesses dois últimos canais citados é possível ter um controle maior sobre as taxas de recebimento e abertura do material.

Outra boa prática é utilizar seu site ou seus outros canais de comunicação para que o seus clientes possam fazer um cadastro e receber os encartes da preferência deles.

Afinal, do que adianta enviar um encarte com ofertas do açougue para alguém que não consome esse produtos?

Trabalhar a forma como você se comunica com os consumidores certamente vai melhorar a experiência na sua loja e impulsionar suas vendas.

Quer saber um pouco mais sobre outros canais de comunicação? Confira nosso post sobre o assunto, neste link.

Nos últimos anos, o comportamento do consumidor tem passado por mudanças. Devido a isso, em busca de manter a relevância as empresas têm buscado novos diferenciais competitivos.

Atualmente, o consumidor multicanal também exige estratégias de atração, retenção, fidelização e relacionamento.

Com as mudanças tecnológicas e a maior adesão às ferramentas digitais, compreender essa nova tendência do varejo é essencial para se preparar a esse novo cenário de consumo.

O que significa consumidor multicanal?

Inicialmente, entender o que é o consumidor multicanal é determinante para conhecer os desafios relacionados a essa tendência.

O conceito é relacionado aos consumidores que migram entre plataformas onlines e offlines para realizar uma compra.

Ter uma loja física não significa dar as costas para as soluções online, pois o público espera que o relacionamento com a empresa possa se dar nos dois ambientes.

Também chamado de omnichannel, essa tendência à migração entre canais no processo de decisão de compra, influencia a capacidade das empresas de atrair consumidores, mas também de reter clientes por meio de uma experiência diferenciada.

De acordo com uma pesquisa realizada em parceria entre Google, Ipsos MediaCT e Sterling Brands, 71% dos consumidores que usam o smartphone dentro de uma loja afirmam que o dispositivo tem uma participação relevante na experiência de compra.

Dessa forma, empresas que desejam continuar impactando positivamente os consumidores devem preocupar-se em oferecer uma experiência capaz de extrapolar um único canal de comunicação e relacionamento.

Uma pesquisa de compra que tem início na internet pode resultar em uma visita à loja física, assim como um anúncio offline pode incentivar um acesso ao site da loja.

O ideal é que essas experiências possam ser complementares. Já que essa mudança entre os canais pode ocorrer em diferentes etapas da jornada de compra.

Quais os novos desafios?

Uma transformação tão significativa nas preferências de consumo da população exige que ocorram mudanças internas nas empresas que possibilitem essa nova forma de atrair clientes e se relacionar com eles.

O atendimento ao consumidor multicanal gera desafios ao varejo que devem ser superados estrategicamente por meio da inteligência de mercado.

Identificamos três desafios relacionados aos novos comportamentos de compra. Confira!

Compreender a jornada do cliente de forma integrada

O conceito de jornada de compra é relativamente recente. O que já seria um desafio para gestores que querem implantar essa solução nas vendas.

Entretanto, entender a jornada do cliente de forma integrada entre online e offline apresenta-se como um desafio adicional.

Um cliente pode, por exemplo, iniciar a descoberta sobre o produto por meio das redes sociais e depois optar por ligar, dando continuidade à jornada por telefone com um atendente.

Esse profissional deve conseguir identificar rapidamente qual a etapa que o cliente está e ajudá-lo a seguir adiante na jornada.

Essa migração pode ocorrer a qualquer momento, sendo necessário que atendentes e vendedores estejam preparados para os desafios relacionados com esse atendimento mais complexo.

Isso nos leva ao próximo desafio!

Transformar a estrutura organizacional

Ter uma jornada de compra multicanal integrada não é fácil, mas é completamente viável. Principalmente se você contar com uma estrutura organizacional voltada para o consumidor multicanal.

Para que seja capaz de mapear essa movimentação dos consumidores entre os canais da empresa, se faz necessário contar com investimentos em ferramentas e tecnologias que viabilizem esses processos. Além de contar com uma equipe preparada para lidar com a integração.

O desenvolvimento de uma estratégia mais eficaz tem relação direta com a capacidade dos gestores e colaboradores de executá-la. Para isso, é necessário um conhecimento profundo de tudo que foi planejado.

É necessário entender desde as expectativas criadas na jornada de compra até as ligações entre as táticas online e offline utilizadas.

Com o uso de tecnologia disponível esse processo vai tornar-se mais intuitivo e eficaz. Além disso, é possível reduzir as possibilidades de uma comunicação com linguagens e abordagens diferentes, que confundem e dispersam os clientes.

Conhecer o cliente

Para que uma estratégia voltada para o consumidor multicanal dê resultados, é essencial estudar o comportamento do cliente. Entre as informações relevantes estão:

  • Gênero
  • Características demográficas e geográficas;
  • Objetivos;
  • Hábitos de navegação na internet;
  • Preferências de pesquisa;
  • Loja física que frequenta.
  • Hábitos de consumo.

A partir dessas e outras informações sobre os clientes, a empresa terá mais condições de mapear a jornada de compra do consumidor, realizando abordagens mais relevantes e com conteúdos mais pertinentes.

Ao optar por um foco no consumidor multicanal, é necessário reestruturar diversas práticas do negócio. Veja como essa tendência para o varejo altera e impacta áreas estratégicas.

Qual o impacto dessa tendência nas estratégias?

Por tratar-se de uma mudança essencial na forma como a empresa atrai e se relaciona com o consumidor, essa tendência para o varejo deve ser avaliada e implantada estrategicamente.

Ainda que apostar no omnichannel exija transformações estruturais na cultura interna do negócio, algumas áreas são mais impactadas.

Atendimento

O atendimento é uma área bastante relevante para um varejo que deseja atender o consumidor multicanal com eficiência.

Inicialmente é fundamental que haja uma mesma linguagem e abordagem em todos os canais usados, tanto online como offline.

O treinamento é necessário para proporcionar uma experiência satisfatória ao consumidor enquanto ele estiver no ponto de vendas.

A unificação e integração dos canais de atendimento são fundamentais para que essa estratégia seja possível, pois se faz necessário rastrear o consumidor conforme ele muda de canal.

Marketing e vendas

A estratégia de marketing e vendas também será uma das bases dessa nova forma de relacionar-se com o cliente.
Mapear a jornada de compra com base em estudos e pesquisas é apenas uma das etapas do processo.

Onde anunciar e como anunciar é outra preocupação da equipe de marketing que deve ter para impactar o cliente multicanal. Um exemplo é inserir endereços digitais da empresa mesmo em campanhas offline.

A abordagem de vendas pode acontecer tanto no ambiente físico da loja quanto no digital. Por isso, é necessário acompanhar o comportamento do cliente para identificar qual dessas duas opções agregará mais valor na experiência dele e possibilitará a retenção.

O consumidor multicanal apresenta um novo comportamento de compra que deve ser compreendido pelas empresas.

Com isso, será possível criar novas estratégias para a sua loja. Essas que tenham como objetivo aproveitar esse novo cenário e alcançar diferenciais competitivos relevantes.

Investir em tecnologia é indispensável

Os investimentos em tecnologia tem sido cada vez mais importantes para diversos tipos de loja no varejo.

Afinal, utilizar meios capazes de melhorar estratégias e consequentemente resultados é fundamental para uma empresa ter sucesso.

Mas, isso não diz respeito apenas a aumentar os ganhos da sua empresa. Isso mostra que pensar no cliente é o que pode impactar positivamente na sua tomada de decisão.

Se você coloca os clientes como o foco das suas táticas certamente os resultados que você pode atingir serão melhores.

Caso uma estratégia seja adotada e ela não impacte positivamente o consumidor, dificilmente você vai atingir os resultados esperados.

Por isso, colocamos o investimento em tecnologia como um ponto muito importante para a sua loja.

Os clientes tem sido acostumados a ferramentas tecnológicas e praticidade nas compras. Então, seguir essa movimentação é praticamente inevitável para as lojas que desejam se manter competitivas.

No caso do consumidor multicanal, entender quem ele é, conhecer as necessidades e hábitos pode fazer toda a diferença.

Uma plataforma de gestão de clientes, por exemplo, pode ser capaz de organizar essas informações do seus clientes.
Que posteriormente podem ser usadas para criar ações direcionadas aos consumidores certos e no momento certo. Aliado a isso uma estratégia de comunicação mais efetiva por meio de dados podem impulsionar os resultados das suas ações.

Outro caminho é seguir o uso de outra ferramenta que tem ganhado espaço no mercado, os aplicativos.

Esse é um meio que pode aproximar a sua loja dos clientes tanto como canal de vendas ou como meio de contato.

Esses são apenas alguns exemplos, mas a ideia a ser seguida é a mesma. É interessante que sua loja use a tecnologia como uma forma de pensar nos consumidores e para atender alguma necessidade dele.

O consumidor multicanal em supermercados

O segmento supermercadista tem algumas particularidades em relação a outras áreas do varejo.

Já que se trata de uma alta recorrência de compra, necessidades básicas e uma operação de grande complexidade.

Além disso, a relação entre o consumidor e um supermercado tende a ser mais próxima do que a de um cliente com uma loja de eletrônicos, por exemplo. Isso acontece justamente por conta da frequência de compra ser mais elevada nos supermercados.

Isso também não quer dizer que não são necessárias mudanças no varejo de alta recorrência.

Já é possível observar isso no crescimento de diferentes formatos de loja como os atacarejos, lojas de proximidade e até mesmo os supermercados online.

Se é uma tendência de mercado possuir vários canais, logo o consumidor irá “exigir” que os supermercados também sejam multicanais.

E é importante ressaltar que não apenas em relação às vendas, mas também na comunicação.

Nesse segundo caso, podemos dizer que já estamos em um estágio mais avançado. Novas formas de marketing e táticas tradicionais têm cada vez mais dividido espaço nas estratégias.

No quesito vendas também não é possível ignorar as movimentações de mercado.

Opções como lojas online, delivery de supermercados e compra online e retirada presencial já são realidades do segmento.

É um estágio inicial do varejo omnichannel para supermercados, mas essa tendência parece se confirmar cada vez mais.

Certamente vale a pena continuar de olho nessa situação para que sua loja não fique atrás da concorrência.

O que achou deste conteúdo? Se ele for relevante para outras pessoas que trabalham com você, compartilhe com elas.

Além disso, que tal começar agora mesmo a seguir o caminho para atender o consumidor multicanal? Faça uma demonstração do nosso software de gestão de clientes e dê o primeiro passo!