Tag

leis

Browsing

Você já deve ter ouvido falar sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), certo? Mas afinal, qual é o impacto da LGPD no varejo? Ainda, o que ela representa para a nossa sociedade?

Pois bem, prepare-se para saber mais sobre esse regulamento que entrou em vigor em setembro de 2020 e, dentre outras coisas, veio para mudar a forma a qual as empresas se comunicam os seus clientes.

Efetivamente, para que serve a LGPD? 

De maneira resumida, a lei regulamenta o uso e a transferência dos dados pessoais por empresas. Ela foi criada para garantir a privacidade das informações das pessoas e, também, permitir que cada um tenha um maior controle sobre esses dados.

Dentre suas mudanças, a LGPD faz com que haja maior transparência na forma a qual as empresas coletam e tratam os dados dos clientes. Assim, passa a ser necessária a autorização por parte dos clientes para que esses dados estejam em posse da empresa.

Para ficar mais claro, um bom exemplo de como pode funcionar a LGPD no varejo é:

Você só poderá se comunicar com clientes que previamente ofereceram seus dados pessoais para a sua marca. Caso essa regra não seja seguida, sua empresa estará contra a lei. 

Para isso, a LGPD visa garantir oito direitos básicos aos cidadãos. E é isso o que você vai conferir logo abaixo.

Os oito direitos básicos que a LGPD oferece aos cidadãos

Para que as pessoas tenham mais controle sobre o uso de seus dados pessoais, a LGPD estabelece oito direitos:

O direito de negar

Antes de terem seus dados coletados por uma empresa, os cidadãos precisam estar cientes disso. E, é claro, podem negar (ou permitir) essa coleta.

O direito de acesso

Os cidadãos têm o direito de ter acesso seus dados pessoais e de perguntar como eles são utilizados ​após a coleta. Além disso, se solicitado, a empresa deve oferecer uma cópia desses dados pessoais de forma gratuita e em formato eletrônico.

O direito de ser esquecido 

Os clientes têm todo o direito de exigir que suas informações sejam excluídas do banco de dados da empresa caso desejem.

O direito à portabilidade

Também, os clientes podem transferir seus dados de uma empresa para outra sem que hajam problemas.

O direito de corrigir as informações

É possível corrigir, atualizar e complementar as informações de dados sempre que os indivíduos sentirem necessidade.

O direito de restringir o processamento

É possível que os cidadãos solicitem que seus dados pessoais não sejam usados para determinados fins ou mesmo que não sejam mais processados. Nesse caso, a empresa pode manter o registro, mas deve respeitar as restrições.

O direito de objetar

As pessoas têm o direito de interromper o processamento das suas informações pessoais para o marketing direto. Assim sendo, qualquer processamento deve parar logo que a solicitação for recebida.

O direito de ser notificado

No caso de existir uma violação de dados que comprometa informações de uma pessoa, ela deve ser informada em até 72 horas após a empresa tomar conhecimento do incidente.

Ok. Agora que você já compreendeu um pouco mais sobre os oito direitos do consumidor com essa nova lei, é hora de ver qual é verdadeiro impacto da LGPD no varejo.

Mas afinal… Qual é o impacto da LGPD no varejo?

Pois bem, é comum que as empresas varejistas utilizem os dados pessoais dos seus clientes em busca de desenvolver clubes de descontos, estratégias de comunicação, relacionamento, vendas e muito mais.

Isso acontece porque é somente conhecendo muito bem o seu shopper que a empresa entende a melhor forma e o melhor canal para comunicar-se com ele.

O acesso às informações torna a comunicação mais direta, personalizada, assertiva e relevante tanto para a empresa quanto para o cliente. Afinal, é possível enviar para cada cliente uma mensagem distinta, de acordo com o seu perfil, histórico e comportamento de compra.

Por isso, você, como varejista, deve estar por dentro dos impactos da LGPD no varejo e saber como não burlar essa lei.

Para não ter problemas com a LGPD no varejo, ofereça valor para os seus clientes 

Antes de mais nada, para garantir que o seu supermercado não tenha problemas com a LGPD no varejo, lembre-se de: garantir toda a transparência possível aos seus clientes. Entretanto… Como fazer isso?

Na hora de pegar os dados do consumidor, deixe claro o motivo desta coleta. E, mais do que isso, ofereça valor em troca dos dados. Afinal, o cliente deve ter um bom motivo para compartilhar suas informações pessoais com a sua empresa, certo?

Assim sendo, uma boa forma de garantir que os seus clientes estejam sempre por perto e compartilhem, de bom grado, seus dados pessoais, é criar um próprio Clube de Descontos da sua loja. Com isso, os shoppers saberão que os dados fornecidos serão bem utilizados e trarão benefícios e vantagens e eles.

Mantenha-se atento para não ter problemas com a LGPD no varejo

Por fim, lembre-se de que o não cumprimento da LGPD pode gerar problemas para o seu negócio. Por isso, mantenha-se atento às novidades relacionadas a ela, não hesite em consultar a lei na íntegra e, sempre que necessário, busque especialistas que possam te ajudar a manter o seu varejo conforme o novo regulamento.

Gostou de saber um pouco mais sobre a LGPD no varejo? Então continue acompanhando o nosso blog para estar sempre por dentro das tendências e novidades do mercado.

Ainda, se estiver em busca de criar o seu próprio Clube de Descontos para aumentar o seu faturamento e fidelizar os seus clientes, marque uma demonstração gratuita com um dos nossos especialistas e surpreenda-se com as nossas soluções.

Hoje, mais de 1400 lojas ao redor do país já contam com a plataforma da Mercafacil para fazer uma gestão de clientes mais completa e assertiva. Que tal o seu varejo ser o próximo?