Tag

estratégia

Browsing

Saber como arrumar o supermercado pode fazer toda a diferença tanto para a sua loja vender mais quanto para melhorar a experiência de compra dos clientes. 

Afinal, ao mesmo tempo que os shoppers desejam encontrar aquilo que procuram de maneira fácil e prática, também é importante que você saiba a melhor maneira de posicionar os produtos, atraindo mais atenção para aqueles que podem gerar mais lucro para o seu negócio.

Nesse cenário, encontrar um equilíbrio e conhecer boas práticas para arrumar o supermercado é algo que pode trazer resultados quase que imediatos para o seu negócio. Vamos tentar? Acompanhe nossas dicas abaixo! 

4 dicas para arrumar o supermercado com maestria

1. Na entrada da loja, aposte nos produtos mais lucrativos e vá seguindo para os menos lucrativos 

De acordo com Leandro Rosadas, especialista em supermercados, essa é uma tática muito importante para arrumar o supermercado e evidenciar mais os produtos que trazem mais lucro para o seu negócio. Ele oferece um exemplo:

“Se eu for arrumar os ketchups na loja, vou começar com os mais caros na entrada da loja para o fundo da loja indo para os mais baratos”

Leandro Rosadas, especialista em Supermercados

Ou seja: em uma prateleira que esteja virada para a entrada da loja devem estar primeiramente os produtos mais caros, seguidos pelos mais baratos.

2. Saber em qual altura posicionar os produtos é extremamente importante na hora de arrumar o supermercado

Os produtos nas gôndolas devem ser posicionados em alturas estratégicas. Para você compreender melhor: 

Acima da cabeça

Produtos de menor visibilidade. Ou seja, ideal para colocar mercadorias de menor interesse dos consumidores e do seu varejo.

Altura dos olhos

Também conhecido como “área nobre”, é o local em que ficarão posicionados os produtos com melhor margem de lucro para o seu varejo. Ou seja, os mais caros. Como o campo de visão dos clientes atinge diretamente este nível, as compras por impulso são maiores. Aproveite esse conhecimento e coloque essa dica em prática! 

Linha da cintura

Apesar de não ser a “área nobre”, também é muito vista pelos consumidores. Aproveite para colocar aqui os produtos de grande procura, mas que tenham um valor um pouco mais baixo que os da “altura dos olhos”.

Abaixo da cintura

Essa altura já não está mais no campo de visão dos clientes. Por isso, aqui você deve posicionar as mercadorias mais baratas e que fazem sucesso com os consumidores. Assim, mesmo que os produtos não estejam tão “visivelmente” posicionados e não sejam visualizados em uma primeira olhada rápida, os shoppers tendem a procurá-los e achá-los da mesma maneira. Afinal, são produtos essenciais ou mais baratos. 

Chão

Ao arrumar o supermercado, reserve a área do chão apenas para os produtos pesados. Assim, serão evitados possíveis acidentes.

Dica extra: atenção ao público-alvo dos produtos! 

Na hora de arrumar o supermercado e posicionar as mercadorias nas prateleiras, lembre-se quem é o público-alvo daquele produto. 

Por exemplo: produtos que chamam a atenção das crianças devem ser colocados na altura de visão delas, e não dos adultos. Assim sendo, posicione essas mercadorias de forma estratégica, ideal para atrair o olhar e a atenção dos pequenos.

3. Ao arrumar o supermercado, dê atenção aos pontos extras de venda

Além de arrumar as prateleiras e gôndolas “tradicionais”, saber como utilizar os pontos extras do seu supermercado é muito importante.

Explicando de maneira breve, os pontos extras são aqueles que acomodam os produtos fora da sua seção “tradicional”. Ou seja, locais em que as mercadorias ficam expostas além da gôndola voltada para itens daquela natureza. 

Por exemplo, com a chegada do coronavírus, diversos supermercados passaram a posicionar o álcool em gel em pontos extras. Ele podia, sim, ser encontrado na seção de limpeza. Porém, também passou a ser visto em outras sessões.

O supermercado pode ter diversos pontos extra valiosos. Dentre eles, destaque para: 

  • Ilhas promocionais;
  • Ponta de gôndola;
  • Frente de caixa (ou check stand);
  • Clip strip.

Saber como usá-los de maneira inteligente pode fazer toda a diferença na hora de arrumar o supermercado. Isso porque os pontos extra, quando bem montados, são excelentes estratégias para:

  • Aumentar o ticket médio das compras;
  • Vender produtos que estavam parados;
  • Apresentar produtos que são novidade;
  • Atrair mais atenção para alguma mercadoria específica, entre outros.

Ps: sabendo da importância desses pontos extras para os varejistas, nós já preparamos um material completo sobre o assunto. Confira 4 formas de explorar os pontos extras em supermercados e aumente a lucratividade da sua loja.

4. Conheça muito bem o seu cliente!

Todas as dicas que citamos acima ganham ainda mais valor quando você conhece o seu cliente. E por “conhecer o seu cliente” nós estamos querendo dizer: conhecê-lo por meio de dados concretos e metrificáveis.

Por exemplo, ao citar que você deve colocar “na linha da cintura os produtos de grande procura”, é essencial que você saiba quais são esses produtos, certo? E, para isso, é preciso conhecer os hábitos e o comportamento de compra dos seus consumidores. Esse é apenas um exemplo, mas conhecer o seu cliente é algo que tornará toda e qualquer estratégia de venda mais poderosa, assertiva e lucrativa para o seu negócio.

Neste cenário, fazer uma Gestão de Clientes eficiente é a melhor saída para o seu supermercado. Afinal, é com esse conhecimento que você saberá quais são os produtos mais adequados para serem colocados nas posições estratégicas da sua loja, e, assim, terem uma saída melhor. 

Pronto para  arrumar o supermercado de maneira vencedora? 

Com essas dicas você está mais do que preparado para arrumar o supermercado, melhorar a experiência do cliente e aumentar suas vendas. Tenha sempre em mente que ele é o maior ativo da sua empresa e deve ser o foco das suas estratégias. 

Quer saber mais sobre como colocar em prática as nossas sugestões? Então converse com um dos nossos especialistas e saiba como a Mercafacil pode te ajudar nessa missão!

Saber como comprar melhor é uma estratégia essencial para supermercados que desejam gastar menos e gerar mais lucro. E quem não quer alcançar esses objetivos, não é mesmo?

E é para te ajudar a alcançar essa meta que nós preparamos este material para você. Confira boas dicas para comprar melhor, saiba quais são as principais características e habilidades que o profissional responsável pelas compras deve ter e muito mais. Acompanhe!

A importância de comprar melhor

De forma resumida, quanto melhor for feita a compra para o seu supermercado, mais dinheiro você tem capacidade de ganhar.

Isso acontece porque a compra bem feita ajuda a evitar tanto a ruptura de estoque quanto a perda de produtos por encalharem. Afinal, você terá a quantidade ideal de mercadorias na sua loja.

Além desses fatores, comprar melhor vai fazer com que você encontre produtos para a sua loja com melhores preços e condições, otimizando o seu dinheiro e te ajudando a garantir mais lucro para o seu negócio.

3 dicas para comprar melhor

1. Ter um bom software de gestão de clientes

A tecnologia é sua grande aliada. Neste cenário, contar com um bom software de gestão de clientes é uma das melhores – se não a melhor! – dica para o seu supermercado comprar melhor.

Isso acontece porque uma boa compra só será considerada boa compra se ela realmente for desejada pelos seus clientes. Ou seja, de nada adianta você comprar muitas unidades de um mesmo produto apenas porque o preço dele está bom. Afinal, isso pode apenas fazer com que ele encalhe em sua loja e você se veja obrigado a se “desfazer” dele por um preço baixo, sem muita margem de lucro.

Compreendendo isso, fica mais fácil para você ter noção da importância de contar com uma ferramenta poderosa, como o CBM (Consumer Behavior Management – Gestão de Comportamento do Consumidor) da Mercafacil, por exemplo. Atuando como uma verdadeira evolução do CRM, o CBM traz dados precisos que te mostram de forma detalhada o comportamento de compras do seu cliente. 

Com ele, você passa a compreender quais produtos saem mais e em quais épocas. Além disso o software oferece todo o histórico de compras dos seus consumidores, assim como o valor de ticket médio, número de cupons, entre outros.

Essas informações permitem que você compre o que realmente precisa, sem que haja desperdício ou que faltem produtos importantes.

2. Pesquisar de forma incansável 

Agora que você já sabe o que o seu cliente busca, é hora de pesquisar e encontrar as melhores soluções, preços e condições para o seu varejo comprar melhor.

Acompanhe com frequência a variação de preços das mercadorias, e, também, não hesite em usar um software e a tecnologia para te ajudar a manter este controle em dia. Esse é um trabalho diário e, quando bem feito, pode resultar em boas condições e em muita economia para o seu negócio.

3. Fazer parcerias de valor – muitas vezes, com grandes supermercados

É comum que os supermercados maiores façam compras de acordo com o seu tamanho. Assim sendo, é possível os supermercados menores aliarem-se aos maiores para fazer compras com melhores preços.

Por comprar mais, o supermercado maior costuma conseguir melhores negociações. Além disso, tem uma maior variedade de produtos que pode muito bem ser aproveitada pelo seu varejo.

Para seu supermercado comprar melhor, tenha um bom comprador

Além dessas três dicas, também é importante ressaltar que, para comprar melhor, a sua loja deve ter um profissional responsável por essas ações. De acordo com Leandro Rosadas, especialista em supermercados, o ideal é que a cada R$ 3 milhões de faturamento, a sua loja tenha um comprador especializado. Também, ele ressalta que o profissional que atua como comprador deve:

  • Ter conhecimento de produtos, sistemas tecnológicos e números – ou seja, conhecimento técnico;
  • Saber como negociar de forma assertiva com fornecedores e parceiros;
  • Ter um bom relacionamento com os vendedores.

Mais do que isso, outras habilidades e ações imprescindíveis para o responsável pelas compras é: saber como fazer uma boa pesquisa antes de fechar negócio, ser organizado e minucioso na hora de efetivar as compras.

Também, nós acreditamos que o bom comprador deve olhar para o seu supermercado como um todo. Conhecer bem os clientes e o que eles desejam, saber o que faz sucesso na sua loja, ser visionário e buscar tendências que vão dar certo. Assim, ele gera mais lucro para o seu negócio.

Para colocar em prática uma boa estratégia de comprar melhor para o seu supermercado, que tal utilizar a ferramenta líder em gestão do comportamento dos clientes no Brasil? Com ela, você compreenderá cada um dos seus consumidores e, assim, terá uma possibilidade maior de acertar em cheio nas suas compras. Ficou interessado? Então agende uma demonstração gratuita com um dos especialistas da Mercafacil e surpreenda-se.

Você já ouviu falar nas estratégias de sell in e sell out no varejo?

Acredite: conhecê-las e saber como utilizá-las para guiar suas compras, campanhas e ações pode ser de grande auxílio na hora de potencializar as suas vendas. Também, são ações que permitem que você tenha um maior controle e gestão de todo o seu supermercado. Importante, não é mesmo?

Dessa forma, para te auxiliar a compreender um pouco melhor esses conceitos, preparamos este material. Pode até ser que você já coloque algumas dessas estratégias em prática e nem saiba disso. 

E então, vamos ver o que são as ações de sell in e sell out no varejo?  Acompanhe!

Mas afinal: o que é sell in e sell out? 

Sell in e sell out são duas ações que podemos chamar de complementares, pois fazem parte do mesmo processo. Para compreender melhor:

Sell in

É quando a indústria/fornecedor/fabricante vende seus produtos para um canal de distribuição – como o seu varejo, por exemplo.

Ou seja, o sell in está relacionado com a compra das mercadorias que você fará para o seu supermercado. O objetivo, é claro, é sempre contar com fornecedores e distribuidores que ofereçam preços e condições favoráveis ao seu negócio. Porém, de nada adianta você ter um ótimo estoque de produtos se eles não são adquiridos pelos seus clientes, certo?

Isso pode desencadear em produtos encalhados, que geram prejuízos e perdas para o seu negócio.

Sell out

O sell out, por outro lado, é o nome que se dá para a venda final e direta do seu negócio para os seus clientes. Para calculá-lo você avalia a quantidade do tempo que determinada mercadoria demora para sair da sua loja e ser adquirido pelo cliente.

Por exemplo, produtos com bom sell out são aqueles de alto giro, sempre requisitados pelos clientes e que não podem, em hipótese nenhuma, estar em falta no seu varejo.

Utilizando o sell in e sell out em sintonia perfeita

Você já compreendeu que o sell in consiste na compra de mercadorias para o seu varejo, enquanto o sell out consiste na venda destes produtos para os clientes, certo? Com isso em mente, é hora de você compreender a importância de ter essas duas estratégias sempre caminhando de forma alinhada, lado a lado. 

Mas como fazer isso? Pois bem…

O sell out deve guiar o sell in

Sim, é isto mesmo. 

O que deve guiar as compras para o seu supermercado é a saída destas mercadorias.

Afinal, de nada adianta você encontrar um fornecedor que ofereça um preço incrível por um produto se esse ítem não faz sucesso entre os seus consumidores. É claro que é importante aproveitar oportunidades que surgem ao longo da gestão do seu supermercado, porém, é mais essencial ainda fazer as suas ações baseadas em dados, e não em achismos/impulsividade.

Assim sendo, lembre-se que a projeção das ações de sell in devem ser proporcionais ao que o seu varejo projeta com o sell out. Caso as vendas de determinada mercadoria aumentem, você revê o abastecimento – ou seja, o sell in – e o faz em maior quantidade ou frequência.

O ideal é que esta dinâmica seja sempre mantida e esteja em sintonia. E, para isso, pode ser essencial contar com um bom software de gestão no seu varejo.

Você pode buscar por uma plataforma que una em um só lugar várias informações e dados relevantes para evitar situações incômodas para o seu supermercado, como:

  • Produtos que encalham – quando o sell in é mal feito;
  • Mercadorias que ficam em falta, gerando a ruptura de gôndola – que acontece quando o sell out é mal projetado.

Entenda que a tecnologia é sua melhor amiga e veio para ficar. Ao invés de lutar contra, busque nela boas soluções para você diferenciar-se dos seus concorrentes e potencializar as ações do seu varejo. E é esse pensamento que nos leva ao próximo tópico. 

Usando a tecnologia para guiar suas ações

A tecnologia traz ferramentas vitais para você ter um bom controle do seu varejo. Um exemplo de sucesso é o CBM (Consumer Behavior Management – Gestão de Comportamento do Consumidor) da Mercafacil. Com ele, você passa a ter dados completos e assertivos sobre todo o comportamento de compra do seu consumidor.

Assim, com esse conhecimento em mãos, a chance de você acertar nas compras para o seu estoque e, também, de desenvolver ações de marketing para divulgar as suas mercadorias, aumenta de forma exponencial.

Ou seja: com este software você potencializa as suas estratégias de sell in e sell out e, ao mesmo tempo, passa a conhecer de maneira mais profunda os seus consumidores. Você compreende:

  • As preferências de compras do seu cliente – marcas preferidas, produtos que compram com mais frequência;
  • Os dias do mês em que costumam fazer compra;
  • A quantidade de vezes que este cliente costuma frequentar a sua loja em determinado período – mensal, semanal, entre outros;
  • O ticket médio de cada compra;
  • Faixa etária, sexo, estado civil, onde moram, etc.

Com todas essas informações e dados coletados pelo CBM, é hora de você desenvolver estratégias eficientes e assertivas de sell in e sell out. Aproveite este conhecimento para garantir que o seu estoque esteja sempre adequado com a intenção de compra dos seus clientes, evitando o encalhamento ou a falta de produtos. E, mais do que isso, capriche nas ações de marketing, ressaltando que você oferece tudo aquilo que o cliente precisa. 

Por fim, lembre-se de que a Mercafacil está aqui para te auxiliar neste processo. Entendemos que cada cliente é diferente e, assim, buscamos te ajudar a compreender e a fidelizar cada um deles. Ficou interessado? Então conheça as nossas soluções completas para o varejo. Agende uma demonstração gratuita com um dos nossos especialistas e surpreenda-se.

Você já deve saber que apostar em um layout de supermercado bem pensado pode fazer toda a diferença para o seu negócio, certo?

Afinal, quando bem feito, o layout de loja é uma excelente estratégia para ajudar os clientes e a terem uma melhor experiência de compras na sua loja. E isso, por si só, já deveria ser o suficiente para te motivar a estudar mais sobre o assunto. 

Porém, acertar a mão e fazer um bom layout de supermercado traz ainda outras grandes vantagens para o seu negócio. E é para te mostrar quais são elas que nós, em parceria com a Paranáfrigor, preparamos este material para você. Acompanhe!

Mas afinal, o que é um bom layout de supermercado?

De acordo com Carlos Fin, gerente comercial da Paranáfrigor com mais de 40 anos de experiência em supermercados, um bom layout de supermercado ajuda o estabelecimento a vender mais, melhor e reduz despesas. “Ele é tanto um mapa estratégico de vendas quanto de operação”, diz.

E não trata-se de apenas de desenhar a posição de cada gôndola, expositor ou checkout. O bom layout deve ser pensado e executado considerando os indicadores do negócio, o público-alvo da loja e a operação da equipe.

“Também, é necessário levar em conta outros fatores, dentre os quais estão: o estacionamento, a retaguarda (produção e armazenagem), a acessibilidade e as vias de acesso ao estabelecimento”, explica o gerente comercial.

Qual a importância de ter layout de supermercado bem pensado?

Prosseguindo, o consultor para projetos especiais da Paranáfrigor e especialista em gerenciamento de categorias, Silvio Cabrero, comenta que “é muito importante pensar muito bem o layout para que a operação da loja seja otimizada e para que os clientes tenham a melhor experiência de consumo”.

Para entender melhor, ele ressalta que a otimização de operação leva em consideração: 

  • O recebimento de mercadorias na retaguarda;
  • A agilidade no armazenamento – para não ser quebrada a “corrente do frio”, que nada mais é do que manter a integridade dos itens perecíveis;
  • A reposição eficiente na área de vendas sem causar transtornos aos clientes, sem aumentar as perdas de mercadorias
  • A boa distribuição de equipamentos refrigerados sem comprometer a eficiência do maquinário, evitando que haja o aumento de custos com a operação do supermercado.

Também, levando em consideração a melhor experiência de consumo possível para o cliente, é essencial compreender que o layout de supermercado deve ter:

  • Lógica de circulação;
  • Corredores confortáveis;
  • Clima agradável para os clientes que circularão pela loja;
  • Checkouts bem distribuídos;
  • Estacionamento dos carrinhos de compra sempre organizado;
  • Boa setorização do mix;
  • Exposição adequada para produtos que causem o desejo de compra pela autoindulgência. 

São todos esses fatores que, atuando em conjunto, causam maior satisfação no cliente e fazem com que ele tenha vontade de retornar à sua loja. Afinal, ela atendeu e superou as expectativas de consumo do consumidor.

Como fazer um bom layout de supermercado?

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre tudo o que abrange o bom layout de supermercado, é hora de entender como fazê-lo. Segundo o gerente comercial da Paranáfrigor, “tudo começa com a integração do escopo comercial com o escopo operacional nas áreas de vendas e retaguarda. É necessário balizar todas as definições do layout através das duas perspectivas”, explica.

Neste cenário, ações que podem auxiliar no desenvolvimento do layout são:

  • Contar com a ajuda dos fornecedores, que possuem informações estratégicas para impulsionar as vendas;
  • Ouvir o que os colaboradores têm a dizer, já que eles trabalham na área de vendas e podem contribuir com informações relevantes;
  • É claro, conhecer muito bem o seu cliente. Afinal, todo o seu layout de supermercado é feito com o objetivo de garantir a melhor experiência para ele. (Ps: esse é um ponto tão importante que, abaixo, você verá um tópico exclusivo para ele. Continue a leitura!) 

A importância da distribuição correta dos setores dentro da loja

Carlos Fin também ressalta a necessidade de uma correta distribuição dos setores dentro da loja. “A isto chamamos de ‘departamentalização’. É nesta etapa que as categorias de produtos correlatas são agrupadas, oferecendo ao shopper (a pessoa que compra, interage com o ponto de venda e vivencia a experiência de loja) uma experiência de compra lógica e sequencial, mesmo que inconscientemente”, explica.

Assim sendo, os setores são organizados de modo que um “puxa” o outro. Por exemplo: ao entrar em uma sessão de “cuidados com os cabelos”, o shopper é impulsionado a levar um pente ou uma escova, quando seu objetivo de compra seria apenas um shampoo.

Favorecendo o fluxo de clientes e a operação

Outro ponto que é importante ressaltar é a área de instalações da loja. Isso vale desde o estacionamento até as docas. Afinal, não adianta ter uma boa loja se ela não oferece uma boa acessibilidade.

Por isso, na hora de pensar no layout de supermercado, é fundamental levar em consideração a melhor localização e distribuição de:

  • Gôndolas e balcões refrigerados em locais de fácil reposição e abastecimento;
  • Investir em bons expositores de perecíveis;
  • Ter uma casa de máquinas bem localizada e dimensionada, proporcionando baixo consumo de energia e menores custos de manutenção.

Quais os resultados que o layout bem feito pode trazer para a loja?

De acordo com Silvio Cabrero, sob a ótica da experiência de consumo:

“Uma loja que possui um layout bem feito consegue conquistar novos clientes, aumentar o ticket médio das vendas e fidelizar os clientes habituais, aumentando a frequência de compras deles. Além disso, é natural que haja a propaganda ‘boca a boca,’ por parte dos clientes, pois a experiência de consumo agrada e surpreende eles”. 

Silvio Cabrero, consultor para projetos especiais da Paranáfrigor.

Já sob a ótica operacional, também existem outros ganhos que o layout de supermercado bem feito oferece. Dentre eles:

  • A organização aumenta;
  • As perdas diminuem consideravelmente;
  • A equipe necessária para a operação da loja fica mais enxuta. 

“É dessa forma que o layout bem feito proporciona economia ao supermercadista”, conclui o consultor.

Como conhecer o hábito de compra do consumidor pode ajudar na definição do layout?

Em um dos tópicos acima, falamos brevemente sobre a importância de conhecer bem o seu cliente na hora de fazer um bom layout de supermercado. Agora vamos destrinchar um pouco mais sobre esse assunto de extrema relevância.

Primeiramente, é importante afirmar que ter informações e dados assertivos sobre os hábitos de compra dos seus consumidores é essencial para você ter um bom layout de loja. 

Isso acontece porque são essas informações que permitem que o supermercadista formate o layout do supermercado buscando oferecer um nível de satisfação e conforto para o seu cliente. O resultado? o shopper prioriza o seu supermercado frente aos outros.

Conhecimento é a chave

Além disso, vale ressaltar que conhecimento é a palavra-chave para qualquer negócio. E, no varejo em geral, em que o foco principal deve ser sempre o cliente, conhecê-lo bem faz toda a diferença. “É o cliente/shopper que vai garantir o sucesso da sua loja”, comenta o gerente comercial da Paranáfrigor.

Assim sendo, é importante que haja uma união entre o varejista, a indústria e softwares de gestão tecnológicos. Afinal:

  • O varejista conhece mais sobre a cultura local e o público-alvo da loja;
  • A indústria conhece o potencial de venda e alcance dos produtos que produz;
  • Ferramentas tecnológicas trazem os dados reais sobre o supermercado.

Com isso, cabe ao varejista interpretar esses dados e transformá-los em ações que irão auxiliar no aumento de vendas e de rentabilidade.

Porém, muito além disso, bons softwares de gestão de clientes, como é o caso do CBM (Consumer Behavior Management – Gestão de Comportamento do Consumidor) da Mercafacil, além de mostrar os itens que estão agradando mais ou menos os shoppers, traz dados precisos que te mostram de forma detalhada o comportamento de compras do seu consumidor.

Com ele, o supermercadista passa a  compreender quais produtos saem mais e em quais épocas. Também, o software oferece todo o histórico de compras dos consumidores, assim como o valor de ticket médio, número de cupons, dados pessoais (como endereço, idade, sexo, estado civil), entre outros.

Ao unir de forma estratégica essas informações, o varejista tem todo o material que precisa para oferecer ao cliente uma loja de excelência em exposição, sempre com inovações e na vanguarda.

Use a tecnologia a seu favor na hora de fazer um bom layout de supermercado

Utilizar ferramentas tecnológicas que identifiquem o comportamento do shopper é uma vantagem competitiva fundamental neste “novo normal”. 

E você, já utiliza um bom software de gestão de clientes como o CBM da Mercafacil?

Com ele, você compreenderá cada um dos seus consumidores e terá uma chance maior de acertar em cheio no bom layout de supermercado. Ficou interessado? Então agende uma demonstração gratuita com um dos especialistas da Mercafacil e surpreenda-se.

* Material produzido pela Mercafacil em parceria com a Paranáfrigor

Você sabe como alcançar os R$ 2.500/m² no seu supermercado, com 5% de lucro líquido? E, mais do que isso, sabe qual a importância de bater esses números no seu estabelecimento?

Acredite, atingir essas métricas com frequência e constância pode te ajudar a fazer com que o seu negócio chegue a um novo patamar, obtendo ainda mais sucesso.

Para te ajudar nessa missão, vamos te explicar melhor o que significa alcançar R$ 2.500/m² no seu supermercado com 5% de lucro líquido… E, é claro, oferecer boas dicas para isso. Acompanhe!

O que significa alcançar R$ 2.500/m² no seu supermercado?

Alcançar R$ 2.500/m² no seu supermercado com 5% de lucro líquido significa exatamente isso que você está lendo. Não existe forma de ser mais literal de explicar essa frase.

De acordo com Leandro Rosadas, especialista em supermercados, a média de vendas dos supermercados, segundo a pesquisa da Associação Paulista de Supermercados (APAS), é de cerca de R$2100/m².

“Porém, notamos que as lojas eficientes, que têm bons resultados e que chegam entre 5% a 6% de lucro líquido, são aquelas que conseguem atingir pelo menos R$2500m²”, comenta o especialista. 

Isso significa que: se o seu estabelecimento tem 100m², você deveria vender R$250 mil reais, por exemplo. 

Entretanto, sabemos que isso não acontecerá “do dia para a noite” e, muito menos, sem conhecimento e esforço da sua parte. Por isso, é muito importante que você, varejista, coloque isso como meta e trace o melhor caminho para alcançá-la.

Ademais, é para isso que estamos aqui: oferecer sugestões de ações que podem te ajudar a alcançar os R$ 2.500/m² no seu supermercado com 5% a 6% de lucro líquido.

Como alcançar R$ 2.500/m² no seu supermercado? Veja 5 dicas!

1. Dê atenção aos perecíveis 

A parte dos perecíveis do seu estabelecimento é essencial para te ajudar a alcançar os R$ 2.500/m² no seu supermercado. Ainda utilizando Leandro Rosadas como fonte, ele ressalta que “o ideal é que 50% do espaço total da sua loja seja composto pelos perecíveis”.

Assim sendo, mesmo se você tiver “somente” um hortifrúti, padaria ou açougue, já é possível alcançar os R$ 2.500/m². Entretanto, é claro que o objetivo torna-se mais palpável quando você tem um supermercado mais completo, em que há uma diversidade de produtos e o seu estabelecimento conta com todas essas áreas.

Por outro lado, se o seu negócio não conta com a parte de perecíveis e é composto apenas por uma mercearia, será mais complicado atingir os  R$ 2.500/m² – a não ser que seja uma loja de atacado.

O quanto cada setor deve representar em vendas totais no seu supermercado? 

Para você ter uma noção ainda mais clara de quanto cada setor do seu supermercado deve entregar em vendas, confira as porcentagens sugeridas abaixo:

  • Açougue: 25% 
  • Hortifrúti: 11%
  • Padaria:
    – Própria: 4%
    – Terceirizada: 2,5%
  • Laticínios: 9%
  • Bebida: de 12% a 15%
  • Mercearia doce: 14%
  • Mercearia salgada: 5%
  • Limpeza: 5%
  • Perfumaria: 4%
  • Bazar: 2%
  • Pet: 0,5%

*Dados retirados do blog do Leandro Rosadas

“Ué, mas esse somatório dá mais do que 100%?” 

Sim, e é para dar mais de 100%. 

Tendo como base essas porcentagens, você poderá verificar quais setores da sua loja estão indo bem e, também, melhorar aqueles que estão com a representatividade de venda abaixo do recomendado. 

Se o seu setor de hortifrúti está vendendo 20% da sua loja, é provável que outros setores estejam deixando a desejar, certo? Pois bem, então verifique quais são eles e busque desenvolver ações personalizadas para eles. Sem deixar de lado, é claro, o seu setor de hortifrúti. 

Neste cenário, uma boa dica é contar com uma plataforma de Gestão de Clientes completa para o seu negócio. Com ela, você:

  • Conseguirá identificar o comportamento dos seus consumidores;
  • Poderá oferecer a oferta certa para cada um deles, fortalecendo o relacionamento com eles;
  • Ao mesmo tempo, poderá aumentar as vendas dos setores que estão com índices ruins.

Por exemplo: caso você perceba que o seu setor pet está muito parado, que tal fazer uma campanha segmentada para o setor? 

Na plataforma, você pode buscar quem foram os clientes que compraram produtos da área no último mês e mandar uma SMS exclusiva para eles. Na SMS, você manda uma oferta relevante, que seja compatível com o histórico de compra deles. 

Com uma ação personalizada e assertiva dessas, a chance de eles darem atenção para a sua mensagem é muito grande, acredite!

2. Crie um layout de loja impecável

Outra dica importante para alcançar os R$ 2.500/m² no seu supermercado é criar um ótimo layout de loja. Ou seja: organizado, prático e inteligente. Para isso, é importante você preocupar-se com as seguintes questões:

  • Iluminação: utilize uma luz adequada para valorizar os produtos na prateleira e deixar o ambiente agradável;
  • Distribuição do espaço: nada de amontoar mercadorias em um ponto e deixar outro espaço vazio. Busque fazer uma distribuição adequada do local, passando a impressão de que o seu supermercado “tem de tudo”, e, ainda assim, é bem organizado e ordenado;
  • Comunicação visual agradável: use nomes simples e cores para sinalizar a divisão dos departamentos do seu estabelecimento, evitando a poluição visual. Inclusive, aproveite para utilizar as cores a favor do seu negócio. Que tal criar um hortifrúti colorido, colocando lado a lado frutas com cores contrastantes?  
  • Organize as gôndolas: evite ao máximo a ruptura de estoque e mantenha as gôndolas sempre em dia. Ou seja, com os produtos com os rótulos virados para frente e dando destaque – deixando na altura do olhar – aqueles que são os queridinhos dos clientes/você deseja chamar mais atenção.

Lembre-se que investir no layout de loja é investir na experiência do consumidor. E, se o seu objetivo é alcançar os R$ 2.500/m² no seu supermercado, é essencial que você cause uma experiência positiva ao seu cliente.

3. Aproveite os pontos extras do supermercado com inteligência

Todo supermercado tem pontos extras. Estamos falando principalmente das ilhas promocionais, pontas de gôndola, o check stand (frente de caixa) e o clip strip.

Esses pontos extras, quando bem aproveitados, podem fazer toda a diferença para aumentar o ticket médio das vendas, favorecer a experiência do cliente na sua loja e, é claro, te ajudar a alcançar os R$ 2.500/m². Por isso, busque formas de colocar em prática as estratégias que evidenciam esses pontos. 

Por exemplo, que tal apostar em um cross selling matador nas pontas de gôndola? Utilizando os dados obtidos pelo seu software de gestão de clientes, você saberá quais são os produtos queridinhos dos seus clientes e poderá desenvolver estratégias vencedoras de cross selling. Algumas combinações que costumam funcionar muito bem são:

  • Cerveja + salgadinhos
  • Vinhos + chocolate + queijos 
  • Macarrão + molho de tomate + queijo-ralado + azeite de oliva
  • Morango + leite condensado 
  • Massa de pizza + molho de tomate + queijo + orégano
  • Carnes variadas + carvão + pão de alho + queijo coalho

Essas são apenas algumas sugestões de cross selling que você pode experimentar no seu supermercado. Porém, use a criatividade – e, é claro, o seu sistema de gestão de clientes – para ter mais assertividade nas suas estratégias.

Além do cross selling, não esqueça de fazer uma frente de caixa com produtos que são “difíceis de recusar”. Por exemplo, chocolates, refrigerantes, salgadinhos, balas, entre outros. Esses itens são ótimos para aumentar o ticket médio das vendas e gerar uma sensação positiva aos seus clientes.

4. Use todo o potencial do marketing digital a seu favor

Outra dica fundamental para você ter sucesso na hora de alcançar os R$ 2.500/m² no seu supermercado é: utilize o marketing digital para valorizar o seu negócio. 

Lembre-se que o marketing digital engloba:

  • Canais de comunicação diretos: SMS, WhatsApp,Telegram, e-mail, chatbot, push.
  • Redes sociais: Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, Youtube, Pinterest, entre outros.
  • Mídias pagas e sites online: blog de conteúdo, sites, sites de campanha/promoções.

Assim, você deve verificar quais desses canais fazem sentido para o seu negócio e, então, desenvolver ações específicas e assertivas para cada um.

Lembre-se que, seja quais forem os canais escolhidos e por mais que cada um deles traga suas particularidades, limitações, diferenças de formatos, entre outros, todos eles possuem algo em comum:

É essencial que você saiba com quem você está falando.

E é exatamente isso o que abordaremos no próximo tópico. 

5. Faça promoção dos produtos certos para os clientes certos

O que os seus clientes querem? Como oferecer o que eles querem e, ao mesmo tempo, criar ações que tragam alto ROI? 

Pois bem, para solucionar essas questões, há apenas um caminho: conhecer muito bem o seu cliente. E, para isso, é fundamental ter uma boa plataforma de gestão de clientes. Ou melhor, o CBM da Mercafacil.

É a partir desse conhecimento mais aprofundado sobre o comportamento do seu cliente que você poderá se debruçar em cima do marketing digital e fazer o seu planejamento de ações assertivas e com alto ROI.

Assim, conhecendo muito bem o seu cliente, utilizando a tecnologia de gestão a seu favor e colocando em prática as nossas dicas, com certeza será mais fácil você alcançar os tão desejados R$ 2.500/m² no seu supermercado.

Pronto para bater os R$ 2.500/m² no seu supermercado?

Por fim, que tal contar com a plataforma líder em Gestão de Clientes do Brasil para te ajudar a alcançar os seus objetivos? Marque uma demonstração gratuita com um dos nossos especialistas e surpreenda-se com as nossas soluções para o varejo. 

Mais de 1400 lojas ao redor do país já contam com o CBM da Mercafacil. Faça parte desse grupo você também!

Você já ouviu falar na estratégia de cross selling no varejo? 

Ideal para aumentar o ticket médio das compras dos seus clientes, o cross selling acontece quando o consumidor vai até a sua loja para comprar um produto e, ao se deparar com um layout inteligente e bem pensado e organizado pela sua equipe, ele acaba levando outros complementares.

Ademais, o cross selling também é muito utilizado em lojas virtuais. Basta que, a partir do momento em que o cliente opte por comprar um determinado produto, o sistema ofereça outra série de mercadorias que complementem a compra inicial.

Com certeza, ao fazer compras online, você já se deparou com os dizeres “Leve também”, “Você também vai gostar”, ou “Pessoas que compraram esse produto também levaram”, entre outros, certo? Pois bem, isso é o cross selling.

Ou seja, o cross selling é classificado como uma estratégia de venda adicional, quando o cliente compra aquilo que já desejava e acaba por levar um – ou mais de um – produto(s) complementar(es). Você acha que é por acaso que os pacotes de queijo ralado são posicionados ao lado dos pacotes de macarrão? Com certeza não.

Quando bem utilizada, essa estratégia pode trazer resultados espetaculares para o seu supermercado. Assim sendo, confira nossas dicas para acertar em cheio no cross selling no varejo. 

6 dicas para acertar ao usar o cross selling no varejo

1. Conheça o seu cliente

Você já usa uma plataforma de Gestão de Clientes completa para o seu supermercado? Ela é ideal para te ajudar a conhecer de vez os seus consumidores e pode ser muito importante nessa etapa de planejar o cross selling no varejo.

Unindo informações relevantes sobre as preferências e o comportamento do seu cliente, você saberá dizer – com base em dados e no histórico de compras, e não em achismos – quais são os produtos que os seus fregueses costumam comprar com conjunto.

Assim, será mais fácil mudar o layout da sua loja em busca de organizar pontos de cross selling mais assertivos, que estimulem a venda adicional.

2. Conheça seus produtos

Além de conhecer muito bem o seu cliente, também é extremamente importante que você e todo o seu time de colaboradores conheçam  todos os produtos disponíveis na sua loja. 

Assim, unindo os dados adquiridos por meio do histórico de compra dos clientes com o know-how do seu time, será possível oferecer produtos que agreguem ainda mais valor para a mercadoria que o seu cliente está comprando.

A tecnologia é essencial para tornar o seu trabalho mais assertivo. Porém, o atendimento humano – e humanizado – nunca pode ser deixado de lado. (Ps: falaremos mais disso abaixo!)

3. Faça associações inteligentes e relevantes

Na hora de fazer o cross selling no varejo, nada de forçar a barra! As táticas de “empurrar” produtos para fazer os clientes gastarem mais dinheiro não funcionam. O consumidor não gosta de ser manipulado e/ou enganado.

Por isso, busque fazer associações de produtos inteligentes e relevantes para o seu cliente. Seu objetivo é, sim, aumentar o ticket médio das vendas. Porém, mais do que isso, a sua meta principal deve ser garantir uma boa experiência de compra para os seus consumidores.

Utilizando os dados adquiridos anteriormente, é possível utilizar a criatividade e fazer pontos de cross selling no varejo que sejam “fora da caixinha” e façam com que o seu supermercado destaque-se da concorrência. 

4. Crie kits 

Criar kits de produtos também pode ser uma ótima forma de estimular o cross selling no varejo. Usando a análise do histórico de vendas somada aos dados de Inteligência de mercado, você pode agrupar produto em pacotes/combos, estimulando os consumidores a comprarem todo o conjuntos de itens complementares.

Essa tática pode ser acompanhada de quebras de preços – desde que, é claro, caibam no seu orçamento. Assim, além de aumentar o ticket médio das vendas, também permite que você venda produtos que estão sem giro há um tempo. 

5. Use a sazonalidade para oferecer boas opções de cross selling no varejo

Todos os meses do ano trazem consigo datas comemorativas especiais. E essas celebrações não só podem, como devem, ser bem aproveitadas pelo cross selling no varejo. 

Por exemplo, no dia dos namorados, que tal organizar um ponto de cross selling que traga vinhos, flores e chocolate? Assim, caso o cliente tenha ido até a sua loja para comprar apenas um desses itens, ele pode acabar levando os outros para “incrementar” o presente de dia dos namorados. 

Durante o mês de junho, em que é comemorada a “festa junina”, fazer um cross selling com diversos produtos que fazem sucesso nessa época do ano também é uma ótima pedida!

Esses são apenas dois exemplos de você você pode usar a sazonalidade para aquecer as suas vendas. Com certeza, o cross selling pode ser usado em todos os meses do ano. Basta estar atento ao mercado e buscar novidades para trazer ao seu cliente. 

6. Treine sua equipe para oferecer um bom atendimento 

Pois bem: investir em um bom layout de vendas é essencial para o sucesso do cross selling no varejo. Porém, o bom atendimento não pode (NUNCA!) ser deixado de lado. 

É hora de garantir que a sua equipe esteja muito bem treinada e disposta a oferecer mais do que o seu cliente espera. Nem sempre o cross selling vai estar só nas prateleiras do seu comércio. 

O ideal é que, além de ter o seu supermercado organizado e favorecendo essa técnica de vendas, o atendente compreenda o que o cliente deseja e esteja à disposição para oferecer boas opções de cross selling. Sempre, é claro, de forma personalizada e humanizada.

Vantagens de usar o cross selling no varejo

Enfim, você compreendeu um pouco mais sobre como aplicar as estratégias de cross selling na sua loja, certo? Quando aplicadas de maneira assertiva, essas técnicas podem ajudar a:

  • Aumentar o ticket médio das compras;
  • Favorecer a venda de mercadorias que estavam sem muita saída;
  • Proporcionar uma sensação de satisfação por parte do cliente, com uma experiência de compra mais completa e positiva;
  • Melhorar o relacionamento com o consumidor, favorecendo a fidelização dele, entre outros.

Então, gostou de conteúdo? Ficou com alguma dúvida no assunto ou não sabe como começar a aplicar essa estratégia nos seus negócios?

Aproveite e agende agora mesmo uma reunião gratuita com um dos nossos especialistas e saiba como a Mercafacil pode te ajudar a conhecer melhor os seus clientes e, com isso, aplicar técnicas de cross selling assertivas no seu supermercado.